segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

SE...

Se eu trocava uma gaja pela musica de hook...!

Às luminarias adeus, um bom 1965

As luminarias portuguesas acham que sabem alguma coisa. Mas não têm influencia nenhuma.
Porque não sabem o que quer que seja. São luminárias e por isso apenas formatadas. São programas de radio, de social, de tv, mas não são gente viva, são psicólogia (a fraude do seculo) - gajas e gajos com ideias - jornais e até subsidios dão ás luminárias portuguesas aquilo que elas nem sabiam que eram. Por isso vão á Serra da Estrela para pensarem que não são luminárias inuteis para 2008. Mas serão. Com os mesmos trâmites de 1902.
Obrigado meu Deus por nos teres livrado das luminárias.
Amen.

De 2007 para 2008, uma prenda.

O maior segredo não é ter sido abandonado, não há tal coisa como essa.
Nem ter sido escolhido para uma festa, porque a festa era esta,
não,
O maior sonho era ter vingado num mundo que não presta,
onde ter sido escolhido não era o que interessa.
Por que o que interessa é SER quem se é com PRESSA.
Num tempo que vai á pressa escolhendo quem não presta.
Mas o maior segredo não é este. Não.
O segredo da vida não é ficar sozinho,
enquanto sua namorada viaja com o vizinho.
E alguma água rima com vinho.
O segredo da vida, é ter a vida á porta. Pá.
Não é ter perdido quem não importa.

domingo, 30 de dezembro de 2007

Bem Boa

Esta Lisboa.

«Faça sentido quem possa» 3

  • "Uso as palavras que me ensinaste, se não significam nada ensina-me outras. Ou deixa que me cale"
  • "Respirar é um habito. A vida é um hábito ou, melhor dito, uma sucessão de hábitos, já que um individuo é uma sucessão de individuos"
  • "Todos nascemos loucos. Alguns continuam assim sempre"
  • "O nosso tempo é tão excitante que só nos pode chocar o aborrecimento"
  • "Tenta outra vez, fracassa outra vez. Fracassa melhor".

Samuel Beckett.

«Faça sentido quem possa» 2

Eis daquelas coisas profícuas da Internet:

"7ª profecia de Fátima":

«Olha o grande dilúvio
Loucuras serão praticadas
Violência gera violência
E os mortos serão revitalizados
Andando e correndo
Vivendo serão aborrecidos
Ilustres,voltam,sem armistício
O regresso volta ao dilúvio
Dilúvio ( 7X )
Vinde a mim minhas criancinhas
Olha o grande dilúvio
Loucuras serão praticadas
Violência gera violência
E os mortos serão revitalizados
Andando e correndo
Vivendo serão aborrecidos
Ilustres,voltam,sem armistício
O regresso volta ao dilúvio
Dilúvio ( 7X )
Vinde a mim minhas criancinhas
Rosas Negras»

Pois claro!!
Medo e ameaças. Eis para que serve o obscurantismo religioso.
De notar a invocação do diluvio 7 vezes. Alguem deve estar muito aborrecido/a com a vida.

Faz lembrar Morrissey: "Come Armagedom, come". Que o disse bem porque há quem não coma nada.

«Faça sentido quem possa» 1

O blogue ArtNudes tem um pré aviso da Blogger acerca dos seus conteúdos. Saudavelmente, a Blogger apresenta o facto. Não imagino que criaturas puritanas e ofensáveis são capazes de encontrar de ofensivo nos conteúdos deste blogue.
Tratar-se-á de alguma coisa que nunca viram?
Ou que não querem ver?
A mim parece-me pior: que não querem que se veja.

sábado, 29 de dezembro de 2007

Wim Mertens

Ainda não conheço toda a sua obra. Que é como dizer que ainda não conheço toda a sua vida. Ou a sua luz.
È apenas um genio, da energia, percebeu o que é a musica. Pelo menos consegue transmitir-me isso. A musica não é mais do que o minimo de energia. Porque toda a energia está no seu minimo. E não como Tchaikowsky, na sua exuberância. A energia está no átomo. No infimo, e não como querem os judeus ou os nazis na sua explosão.
Provavelmente a energia está na implosão.
Tenho ouvido pelo menos 8 cd's de Wim Mertens por dia. Eis como o genio se manifesta: indiciando novas audições, estas por serem musicais.
Mais, o genio de Wim Mertens está e reconhecer outros genios musicais. Mas sem nome. Ainda. "A man with no fortune with a name to come", diz tudo. O genio nunca tem nome. Nunca terá porque é a identidade do uno.
Da unica coisa que existe.

Pão

A coisa mais facil de fazer do mundo.
Um cubo de fermento de padeiro, farinha e água. Sal e açucar. Mistura-se á toa. Deixa-se em lume de forno.
Para que são precisos os padeiros?

Feministas

Tirando Camila Paglia ainda não encontrei nenhuma feminista que não abdicasse do discurso da Vitima.
Porquê?
Como disse Camila Paglia: " foi a necessidade que escondeu algumas mulheres na heterossexualidade e nas boas maneiras da convenção".
Bem boa!
E o que interessa a Camila Paglia?
O que interessa é viver como um génio, sempre por dentro, sempre interiorizado. Sempre cada vez e a cada dia mais profundo. Até ao fim do ser que não tem fim. Tudo o resto são tentativas de manipulação de um mundo louquinho.
Já agora: quem psicologiza os psicologos e os psiquiatras. Tadinhos, entregues á sua "autonomia"....! Vallha-lhes os médicos! E os sociólogos! E os electricistas!

Bem Boa

Parece que as mulheres - não de qualquer "classe" - não gostam mais de piropos. Eu que tenho uma leve licenciatura - á custa de um estado paciente, alguma (parca) educação e umas referências muitos gerais, de vez em quando envio uns piropos. É òbvio que deixei de gostar das mulheres que "reagem" a piropos.
Parece que as mulheres - depende da afectação de "classe" - não gostam. Eu gosto. Gostava. Nem sequer gosto, porque é o que me vem de dentro. Não da mente. Eu aprecio, sei que os indigenas militantantes estão bloqueados pelas fezes cerebrais, e não partilham o gosto.
O que é.
Mas só se tornou no que "não é" desde que em Portugal se criou a ideia do que poderia ser é o que é. Mas não é.
Uma gaja feia. É feia em todo o lado. Mesmo que casada. Uma gaja bonita, não é mulher. É uma gaja. Se for bonita melhor, se for boa. Oh meu deus!
Olha eu. Sou em todo o lado. O que é permitido fazer um juizo acerca de mim, que nunca me atinje, porque não hei-de fazer um juizo acerca do que sei que nunca atingirá ninguém.
BEM BOA!
Já ninguem diz isso á sua sogra?
Têm a versão dos Mata-Ratos. Ou o rock tornou-se politicamente correcto de repente? Esta geração diz que sim. Adora ser velha para obter o resultado contrario. Fruto de um professorado que nunca lhes aconteceu. Só lhes resulta manipular os joguinhos de linguagem. Um pouco de "Endgame" á Beckett faria bem.
Não tem mais nada. Que lhes diremos?
Bem boas! Maneiras.
As boas maneiras vêm de dentro. Não vêm da mente.
Mas quem se interessa por boas maneiras? As gajas que sabem que não são boas. E que nunca serão.
Por mim não tenho problemas com a adjectivação. Nem com a lingua portuguesa.
"O ser é o que é. Tudo o que puserem á frente é lá convosco". Diz-me a minha parca educação.
Mas a educação não serve para nada, é uma convenção irreal. Que só serve os que pensam.
De dentro para fora, vá.
Como alguem uma vez disse: "aquele que exprime a sua versão mais sincera nunca fará mal a ninguem, a não ser que as miseráveis vitimas lhe estejam a criar caminho". Pensem nisso.

Ao Mundo Ocidental, deu-lhe.

Depois da morte de Benazir Bhutto, o mundo ocidental parece consternado. Não está.
Mas parece.
Não parece que tenham sido os paquistaneses os unicos interessados num regime ditatorial. Mas ao regime Ocidental, deu-lhe. O Ocidente tem tens destas coisas. Acha-se superior. Não é obviamente, mas acha-se e depois dá-lhe para a consternação.
Já de si, o Mundo Ocidental, é ridiculo, Na consternação é miserável. Porque exibe uma superioridade do "poderia ter feito melhor". Não podia ter feito "melhor", porque só fez merda, pelo menos até hoje. E a consternação que exibe não é a das vitimas. mas acerca de si memsmo. O mundo Ocidental nunca vai passar disto porque construiu uma hegemonia baseada na aparência. O outro mundo não é melhor. A questão é que a ideologia unica promove os visiveis - os que acreditam em anjos - os invisiveis. A questão é que o mundo não está dividido. A não ser pela ideologia da dominação da superioridade tecnologica - uma fraude que, em breve, levará á ruina da sociedade.
Não conheço os meandros do evidente assassinato de Benazir Buhtto, e que, descanse em paz, não é nada que estranhe á "diplomacia" ocidental. Pois não?
Ou esqueceram-se de alguma coisa?
A Al-qaeda é declaradamente culpada de muita coisa, mas de tudo?
Deixei queimar o arroz...foi a al-qaeda, concerteza.
Valha-nos Deus!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

A BIBLIA ESSA PARVALHEIRA

Li varias vezes a Biblia. Não encontrei lá nada de jeito. Nada que me sirva a minha vida quotidiana. Por exemplo; como fazer um arroz de tomate!???
A Biblia está cheia de mortos, vinganças, irmãos que matam irmãos por causa de gajas que irmãos tinham. A tradição judaica (sic). A Biblia está cheia de morte.
Uma coisa que não existe. O livro é tão mau, romanescamente falando. Nem sei porque foi publicada! A não ser porque alguém se apercebeu que dava massa.
Não era suposto a BIBLIA ser acerca da vida?
Não.
Deu para torto.
A Biblia é um compêndio de disparates, coisas que não existem: Tipo, uma serpente condenada por deus a rastejar durante toda a vida , não poderia ser a voar?
Mas não faltam organizações que se apoiem na Biblia para aprouverem os seus interesses. Tais como os psicologos fizeram com os parcos livros que estudaram e interiorizam, como serpentes.
Supunhamos que os amantes dos livros Corin Telado faziam o mesmo. Ou Shakespeare, ou Thomas Stearn Eliott. Ou Miguel Esteves Cardoso. Ou Garfield.
Que diriam nessas biblias?
Não me lembro de um Jesus Cristo que andasse com a Biblia na mão a proclamar o amor de "deus". Não me lembro de um Jesus Cristo que andasse de Biblia na mão a proclamar "O amor incondicional." Precisou de uma Biblia? Quereria-a vender? Pensem lá bem...!
Porque a palavra de Jesus estva n'O Amor pelo pelo vilão, pelo roubador, pelo crente, pelo velho. Pela criança, pelo César, pelo antigo e pelo que virá. ???
Não houve um Cristo de Livro na mão. Como se arrogam estes, biblicos, salvadores - de quê? - de agora com livros na mão? Dizendo que Deus é este? Que Cristo é este e aquele? Como se eu não soubesse quem sou. Não apenas com amor mas com humor.
Pois eu vos digo, que "sou apenas um amigo de Jesus":
Este é o Cristo.
É o que nós queremos. E há outros que nos mostrarão outras faces de Cristo. Até ao fim dos tempos. E sempre assim, porque a memoria é o que virá. Em bandas de Rock, em animais, em frutos inesperados, e em dividas. todas essas serão as faces. as minhas faces. Não as ignoreis como fizesteis até agora ao receber uma prenda do vosso cunhado.
Este Deus é o que nós estamos a criar. Não nenhum outro porque não há tal coisa como "outro Deus". Mesmo que tenha criado o céu e a terra na obcsuridade. No completo vazio, sem luz, - presumo, á luz das velas - ás escuras, sozinho e sem secretária. Ou sem um Pc compatível. Ou pelo menos ligado á rede. Sem uma conta civel.
Talvez eu não teha feito nada disto - Disse deus. Mas...Como começou?

RESPEITINHO

Uma geração louca acha que pode reinvidicar RESPEITINHO. Não pode, porque está louca. O respeitinho é a aliança ilusoria entre os "os que sabem" e "os que julgam que sabem".
O "respeitinho" é tudo o que os governantes queriam para governar sem oposição sem se lembrarem que foram oposição.
O respeitinho tem a tradição de uma democracia debil, baseda em mitos. O respeito pelos leões?
Eu sou leão, que medo tenho de um leão? Deveria ter? Oh pussy cat!!
Ou é a puta da bibibla a tentar inculcar o medo a quem vive?

Gatos

Falta uma obra prima acerca dos gatos.
Há uma, usando Garfield - ese genio vivo do Consumo, embora das coisas que Jon lhe dá.
O genio do dos gatos é terem-se apercebido que algo vai mal.
Muito mal.
E aproveiarem-se disso, sem se rirem.

Profs e Psis, quem nos livra deles?

Estive no ensino oficial e no ensino "alternativo". Na Formação Profissional. Onde a actividade de professor é um estatuto. Não uma competência. Onde se tratam bem as pessoas, mas socialmente, apenas, não lhes pagam. Brilhante!! Não há país como Portugal!!!
A formação profissional tão ávida com o cortar do passado esqueceu-se do basico. A escolinha sem futuro esqueceu-se do futuro - pelo menos o presente. Inculcam os miudos com ficções de que se vão ressentir anos depois - a não ser que tenham quem os acudam. A maior parte não terão. Brilhante!! Não há país como Portugal!!!
A culpa não é de ninguem. É da responsabilidade de uma sociedade que acha que merece mais do que outra. Por se achar superior - por ter estudado "mais" e não ter entrado onde "queria". Uma sociedade que acha que está dividida.
Mas é por se achar que é sociedade constituída. Brilhante!! Não há país como Portugal!!!
Na formação profissional para ser esse o obnoxio, é preciso uma formação avançada que esteja disposta a isso. A sociedade portuguesa - uma abstracção, poderia chamar-se napolitana - que não existe nem deu provas suficentes e notoriuas achou que não.
Que o Cristiano Ronaldo ou o Psicologo/a mais obscuro ao serviço do Estadão devia ganhar mais.? Brilhante!! Não há país como Portugal!!!
Apesar dos indices de ignorância entre os futebolistas e psicologo/as serem semelhantes, o estado não mostrou pejo em fomentar essas actividades. Porque não tem como as fiscalizar - é mais fácil fiscalizar uma cozinha. E se for chinesa....! Brilhante!! Não há país como Portugal!!!
Não é um probçlema de estado. É um problema de actividades, de seres vivos, os que eram.
Vi professores a chorarem por migalhas. E migalhas a comerem professores. A lei, hoje, é a do mais esperto. Não a do comum. A lei da dominação prevalece, na sociedade primitiva. Uma lei construida pelas religiões. E as religiões que legitimam um estado louco legitimam uma educação louca. Hipotese de investigação: para onde vai o dinheiro do estado que dão ás instituições loucas dos psicólogos?
Eis os doentes que temos: os Psi. Cologos . Quiatras.
Quem nos livra deles?
Brilhante!! Não há país como Portugal!!!

Jornaleiros

Jornaleiros e jornalistas.
Esqueceram a sua consciência critica e vão á procura do facto obvio do pequeno roubo, pensando ser essa a manchete. Mas há roubos maiores: os dos farmaceuticos que fazem experiecias (Bial) com a vida, medicos que fumam em salas de doentes (pobres); hospitais sem medicos suficientes, amigos de funcionarios de hospitais com prioridades nas consultas. Que tal? Dói?
E os voluntários, estão nos hospitais porquê? Vidinha? Vidinha.
Dói, porque é a Vidinha dos portugueses. E a vidinha dos portuguees dói. Mas para acabar com a dor é preciso acabar com a vidinha dos portugueses e disso falta coragem. Porque os portugueses ainda pensam que a sobrevivencia é uma questão de colocação social. De estatuto. Não é.Isso é uma questão de incompetencia social. Faltam muitos sociólogos, desprezem os psicólogos.
Os jornaleiros, escravos, que foram senhores, ainda acreditam que ter Adidas ou Nike é que lhes vai dar a "história". Não é. È a intenção global perante a vida. os jornaleiros grosseiros que temos acham que sim. E por isso os seus jornais são acerca do delinquente que "roubou" uma carteira. Do juiz que "não ponderou" a sentença.Os jornaleiros que temos são assim porque são muito mal pagos por gurus da liberdade que nem sabem o que fazem. Mas a maior parte deles ainda pensa que poderia ser um bom enfermeiro, taxista ou pastor. Falo dos jornaleiros. Os outros querem ser as suas mulheres.
Nada que as classes que querem dominar não queiram que eles pensem. Mas esqueceram-se que são eles que dão o alimento a esta sociedade. E perderam o tipo de apoio de jornalista para jornaleiro.
Ainda se lembram da diferença?
Que tal a greve? Ou mandar foder o vosso director - aliás não fode desde que a vossa irmã foi para o Brasil, ou para Russia.

Paula Rego, a pintura de uma geração assexuada

Só uma sociedade sem história gosta da Paula Rego.
Não porque ela faça história: fará, mas pelas "mais-valias, não pelas suas mamas". Porque quem gosta de história sabe que a Paula Rego não ficará na história. Porque, coitada, gosta demasiado de história. E a vida e a obra dos vivos não é feita de história nem de futuro. Mas de Presente. O presente que a Paula Rego nos traduz é o da ideologia do ressentimento feminino - tal coisa não existe, é uma ficção feminista interesseira e comercial. Onde Paula Rego, e as suas galerias, vingaram.
Os seus bonecos não são mais do que isso: bonecos. Não são são uma consciência nem um trazer. Muito menos um arrumar da casa.
Mas têm a coisa boa que é o seu lado combativo. Perene, mas combativo. E alegremente frágil. Não é Magrite na pintura - nem pensar -, nem Duras na arte da imitação da literatura. É apenas uma mulher que tentou vingar a vida. È isso que fica de Paula Rego. Essa que em breve vai ter connosco.Os quadros de Paula Rego são a confirmação ideologica de uma futurista que ficou para trás. Não são o passsado - muito desse "passado" foi vivenciado libertariamente e a que Paula Rego não deu importância, por ela mesma estar sobrecarregada pela ideologia que ela pensa que a "mutilou". Os livres vêem liberdade. Os tiranos, tirania. Os castrados a castração. Os avançados o seguinte.
Só por ser gaja, genero, foi-lhe atribuida uma importancia que ela não tem. Ou alguma vez terá. Mas fica na história como "gaja", não como pintora. mas como pelo poder concessionário de outras gajas primárias e ignorantes, gajas de uma época falida. Nem putas nem senhoras, apenas seres assexuados com próteses. Paula Rego ficará para a vida. Não para a obra, como Beckett. Ou Magritte.
A assexuação pelo ressentimento: esse é legado de Paula Rego.
Ou a cobardia.

The Twilight Sad

Eis a minha ultima descoberta musical. Graças a esta Internet que eu pensei em desligar.
Depois dos Editors, The twilight sad são a melhor banda do mundo conhecido. A não ser que ande para aí um português com ideias.
Só tem um LP e um EP. O suficiente para fazer musica. Nem boa nem má.
Consistente. Que é o que interessa.
O album "Fourteen autumns and fifteen winters" é obrigatório em qualquer discografia. Encontrei-o numa "tragica" lista acerca de electronica. Não só a lista não merece consideração como este album não merece o contexto que a "lista" lhe deu.
É brilhante.
Só tem um defeito: não teve ninguem que o ajudasse na produção.
O brilho provém daí?
É daqueles discos que vale a pena comprar pela honestidade artistica, e pela intenção musical.
Este album é de cinco estrelas. Agora imaginem-no com uma produção do tipo Martin Hannet....!

terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Economia

Parece que o Sr. Primeiro-ministro está optimista quanto aos "numeros" do emprego e do desemprego. Parece que tal deixou de ser um fenómeno incontrolável: não disse isso mas subentende-se a obscuridade que o estado revela perante o des/emprego.
Mas a vida do portugueses não parece estar melhor mesmo que com o emprego/desemprego controlado. Não ganham mais, não têm melhor vida. Não se associam mais nem se organizam mais. Continuam com dificuldade em estar de acordo, acordados.
É mais facil manterem-se na sua posição do que ouvir os outros, pelos menos os que tem argumentos válidos. Anos de obscuridade e de policias informais geraram uma sociedade louca que tentou impor os seus valores ás gerações posteriores. E conseguiram. Barreiras psicologicas que os cientistas sociais não se cansam de desmistificar. Dificuldades artificiais baseadas em teorias de de um drama inexistente.
Mas para estas dificuldades há uma solução: os "numeros". Os "numeros" dizem tudo. mesmo quando não dizem nada. Há quem veja neles, como num oráculo, respostas do céu.
Eu tambem vejo, mas não me dizem a mesma coisa que disseram ao Sr. primeiro-ministro. Segundo o que ele proclamou no seu discurso.
Dizem-me outra coisa. Que o sr. ministro não quer revelar. Que o Sr. Ministro não entende o que andou ali a fazer, até hoje.

Natal

Para mim foi sempre um negocio de familia. No duplo sentido: em que os meus pais eram comerciantes, e no sentido em que era uma oportunidade para reunir a familia. Nem sequer sabia que era uma ideia exclusivista, em que os judeus não acreditavam. Para mim era adquirido. Ainda é. Mas parece que se deve levar a vida a serio, e quem vai ao Natal não deve ser judeu. nem cristão (enquanto evolução do judaísmo).
Não. O natal parece ainda carregar a carga intelectual e ideologica. mas não pode ser a coisa simples do reunir. Na verdade quem carrega a carga politica para o Natal esquece-se de a mostrar em outras zonas bem mais densas e importantes da vida quotidiana: onde a politica realmente se manifesta a toda a hora.
Mas a esses já não interessa a politica. Porquê? Porque é mais facil pregar alguem numa cruz, do que aceitar o seu nascimento.
Não ha nada a perdoar.

ABSTRACÇÂO

Os portugueses parecem estar a perder o sentido de abstracção. E a substituí-lo pelo de indiferença. A abstracção, que reconhece liberdade, parece estar a ser substituida pelo da indiferença, baseada no ciume e na vigilância social. E tal não acontece nas zonas mais frageis da sociedade. Tal acontece numa sociedade que resolveu, quase por decreto, tornar-se mais ignorante, ou até "superior" (sic). Está em todos os sectores, aparenta um profissionalismo pouco evidente. E o que parece funcionar já nem funciona. Na verdade o que é que funciona na sociedade portuguesa?
A indiferença. A chacota e a tentativa de manipulação. Não seria mau se tivesse graça. Mas nem isso.
A abstracação, a capacidade de tornar o outro em si, passou para o lado da indiferença, em obrigar a tornar o outro como "nós".
Mas não gosto dos nós nem nem de laços.
Ainda prefiro a abstracção.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

O pão dos malucos

Subitamente a sociedade portuguesa vê-se falida. Depois de anos á deriva sociedade revelou-se aquilo que já se esperava, um vazio completo.
Com indices de literacia a roçar a dos Cágados, os portugueses vêm-se roxos para entnder o que lhes aconteceu. Não há culpados. Há irresponsáveis que tiveram cargos politicos e que nunca definiram uma politica de educação pelo menos duradora. Já nem se pedia consistente.
Não se espere que a televisão e a Internet venha dar aos miseráveis aquilo que a escola sempre lhes sonegou: a visão critica.
Entregues aos pais, ás ideologias e ás religiões as crianças portuguesas pensam que lhes podem escapar pela via facil: o jogo video e o entertenimento. Não podem, não pelo menos mais do que 5 minutos.
Enquanto uma classe operária inoperante nem sequer vela pelos seus interesses, e as classes medias tambem não sabem o que fazer á vida, e ainda uma classe dirigente que não tem nada que a defina como tal, a sociedade portuguesa consegue apenes estar entregue a si própria. Sem sustento ou fundamento que a perpetue no tempo ou no espaço.
Governos entregues á mera gestão de poder, sem programa ou pelo menos um vislumbre da realidade, não governam. São meros agentes policiais. Num pais em que nem policia há - o que há é um bando de energumenos fardados. Em que profesores são destituidos e um estado nomeia os seus proprios confessores. Num pais em que se diz que aqui não há pão para malucos, eis o pão dos malucos. Uma sociedade miserável outrora polida pelo dinheiro revelou-se aquilo que já se sabia: uma sociedade debil, muito debil. Que não soube transitar entre a tradição e a modernidade. Porque não havia quem percebesse disso.
Que tempos são estes?

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Medo não é LIBERDADE:

Subitamente a sociedade portuguesa atingiu indices europeus. Mas de criminalidade.
Um conhecido sociólogo dizia, há anos atrás, que Portugal para se integrar na Comunidade Europeia teria de conhecer as suas vantagens. mas também os seus prejuízos. A criminalidade está aí, e fez de Portugal o 3º país no Campeonato Europeu da Criminalidade 2007. No ranking, logo a seguir à Letónia e à Polónia.
Não sei que Scollari está a treinar os criminosos portugueses. Mas noto apenas uma coisa: alguém está interessado (obviamente quem tem "interesses") em dividir a sociedade portuguesa. Para reinar. Espero que consiga. Boa sorte.
Numa recém criada democracia não é invulgar haver quem se ache mais democrata que outros, quem saiba melhor que outros o que é a "ordem publica". Seres domésticos e domesticados os portugueses perderam a noção de Liberdade, em troco da segurança. Já não sabem que são um TODO. Acham que estão separados uns dos outros. E até compraram telemoveis massivamente para que não percam nada do que os outros estão a fazer. Agora, vaidosinhos, são classes.
Filminho ao fim de semana e alegrias do Lar. Salazar não esperava tanto. Nem tonto. À domesticação, à indiferença e à cultura do entretenimento os portugueses chamam ordem publica. Este é o Pensamento Unico português. É o que há. Não têm culpa. São os professores que lhes damos que lhe ensinam isso. Os media que temos.
A onda de criminalidade e de crimes violentos (principalmente os recentes da noite do Porto) compreendem-se com a sociedade debil que Portugal criou nos ultimos anos. Isolada, domesticada e empobrecida, não resta a esta sociedade senão pedir ajuda, pelo meio mais desesperado: o crime.
Porque não há, no quotidiano, quem os ajude. O estado fugiu para os interesses (interesses outra vez??!) económicos. Os partidos politicos para as revistas de coração, a sociedade intermédia para os galinheiros. Não resta senão aqueles que excluidos por uma sociedade contentinha se tiveram de "virar". Hoje em dia, em Portugal, sair sozinho à noite é quase só por si um acto criminoso - a não ser que pertença a uma repartição publica.
O que é que ainda funciona em Portugal?
As instituições do estado que deviam proteger os seus cidadãos estão longe deles. E são gaiola de dois ou três exemplares de aviario. Simplesmente não funcionam. (Já alguem foi a uma repartição de finanças? Aquilo é literalmente propriedade dos seus funcionários, com as suas "private jokes" os seus joguinhos informais, para que nada funcione. E o estado que não pode descurar os proximos votos chama-lhes apenas "marotos").
Em Portugal, qualquer instituição é propriedade, uma coutada, daqueles que lá se arranjaram nas suas vidinhas. A vocação para quem as instituições se direccionam perdeu-se. Não se sabe muito bem porque existem, principalmente os que lá habitam, os seus funcionários.
Não me admira o desespero com que os portugueses se debatem hoje. Uma sociedade que adora "gerir a crise" (até parece que não sabe viver de outra maneira senão em crise, adoram os pobrezinhos, os debeis, e mantêm-nos assim eternamente em vez de o ajudarem á emancipação). Isto acontece porque os detentores da tecnologia social adquiriram um estatuto que os seus pais nunca tiveram. E não estão preparados para abrir mão disso. Esta sociedadeziha gosta de manter um status quo artifical e muito perene. Triste até.

Isolada, a sociedade portuguesa não tem senão medo. Medo da policia, medo dos criminosos, medo dos tribunais, medo da justiça, medo de ser despedida, medo do patrão, medo de dizer o que pensa. E do que não pensa - não vá o céu cair-lhes na cabeça. Medo dos velhos, medo das crianças, medo dos carros, dos peões. Medo das bruxas, do Tarot, de quirómanos, astrólogos, psicólogos, sociólogos, advogados. Até de musicos.
Os jornais têm medo de exercer a sua função libertária. Têm medo dos lobbies, da justiça, da censura publica. Medo de serem quem são e de exercerem a sua vocação.
A sociedade portuguesa recente tem medo de perder - e acaba por estar sempre a perder. A perder o essencial que é viver. Em LIBERDADE.
E medo não é LIBERDADE.
Este medo têm uma razão: os portugueses acham que o futuro, o seu futuro, está, esteve, ou estará em causa. Nunca esteve. Nem estará. Porque pensam eles que são assim tão importantes?
Por medo.
E o medo gera injustiça.
E o medo não é liberdade.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Fuga

Fugei, os que avaliam, adeus holograma!

Engenheiros

Os que eu conheço são-no do bagaço ou da adulação á psicologia.
Quem nos livra do bagaço, da Psicologia ou dos engenheiros?

Porquê?

Encontrei uma profissional de Psicologa a dar a cona num Bordel. Ela não é interessante como profissional de Psicologia, como o haveria de ser o como puta num bordel?
Alguem enganou essa gente.

Elogio das PUTAS

Se não fossem as Putas não sei o que seria do Portugal Fashion e do Portugal Afashion.
E da minha vida.
Nada como o Broche que o Natal nunca nos traz. E que ninguem vos fará. Senão as putas que acham que terão um curso de Psicologia e já têm.
Viva a igreja Católica, a Maya os Partidos e os Clubes politicos.

Policias a manifestrarem-se - fodam a policia!!

Um bando de energúmenos malcheirosos e ignorantes, que não sabem ler um livro ou encontrar um indice resolveu manifestar-se.
A coberto de dois ou três profissionais sérios.
Mas nem sequer se sabe onde. A trupe achou que devia ser Lisboa - por não saber onde no mapa de papel higienico usado dos seus cunhados. Ou dos antigos amantes das suas catarticas mulheres. Os unicos livros que leram.
Uma classe obviamente risivel que acha que "protege" uma sociedade que não precisa de protecção acha que tem algum poder. Não tem. Só tem porque o estado não tem tambem. Um Ministro dubio que só lê papel higienico usado é da mesma classe.
Só uma pessima democracia acha que mesmo os energumenos violentos - a policia - e até associados acham que tem razão. E até lhe dão uma farda. Batem palmas a esta policia. Apoiam-nos. Subsidiam-nos. Amam-os.
Sócrates vai dar razão a uma classe social que é uma fraude.
Obviamente violenta. Infelizmente a classe não violenta que há em Portugal está empanturrada de quimicos - na sua maior parte quimicos legais pela sua ilegalidade. E essa "acha" que é poder. Não há salvação. Ambos são parceiros de comiseração.
Os policias portugueses são obviamente violentos - primeiro porque não sabem o que é estar vivo, acharam que isso era o que o que os filmes lhes davam. Segundo não sabem o que é estar morto. Coitadinhos. Não é a mesma coisa.
Os policias reinvindicam "coisas". Os outros são reinvidicados. A comedia é a mesma.
Por mim, enquanto cidadão, reinvindico, que os policias não reinvindiquem. E farei tudo para que qualquer policia não saia da lei. Que é o que têm feito - vejam os casos de corrupção, de violação, de violações de menores, da Casa Pia, de agressões fortuitas, multas fraudulentas, de contrabando, psicologização do crime e inimputabilidade, de desaparecimento de estupefacientes, de desaparecimento de emigrantes, de roubos "estranhos" de carros, agressões a vizinhos, agressões e disparos a "Seguranças". Tudo isso é resultado de uma polica que não é polica, mas de um bando de delinquentes que "acha" que é legitimo pelo seu distintitivo, mas que não se lembra que um policia só reconhecivel por uma via.
Não sabem?
Adivinhem qual.
Não descobriram? Então façam apergunta: Era esta a policia que querìamos e em quem votamos?

P.S. Tambem gostaria que os que se empanturram com quimicos não afrontem tanto os policias. Não era bom ó Abrunhosas? Ou ainda têm medo da Liberdade?.

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

MORTES NA NOITE DO PORTO

Resultsdo
da EDUCAÇÂO DOS QUE PENSAVAM QUE TIHAM RAZÃO

EDUCAÇÂO em Portugal é Paleio

Os homens e as mulheres educados e educadas em Portugal são uma classe dimiuta. Mas nenhuma politica de educçaão obedece aos trãmites seguintes:
Duas coisas são necessárias:
1º Instruir os que não sabem;
2º Instruir os que julgam que sabem:
3º Libertar os instruídos.
4º Prever que os instruídoos não instruam.

Mas o que é necessário é uma revolução cultural, baseda em premissas da nossa época, que nos leve onde já estamos.

A noite tem uma tradição de revolução daquilo que não se ensina de dia.
Isso é o resultado da violência do que se ensina de dia.
Se há morte á noite é o resulatdo da violêcnia ensiada pelo dia - lavradeiras, brunideiras, simples jornaleiras que o que queriam da vida era ter chupado uma piça.
PUTAS INVEJOSAS aceites pelo poder político - pelo seu esforço.

Mortes na noite do Porto

Connheci muito bem o Palhais.
Ninguém lhes quis mal.
Ma o objectivo da cegueira é procurar culpados pela sua"morte"
Quando souberem que Palhais não morreu, isso será uma nova percepção de vida. Para já não estão, obviamnete, preparados.
Quem alvejou Palhais foram os seus amigos. Não inimigos.
Quem alvejou Palhais foi quem precisou da sua ajuda, e fê-lo num momento desesperado.

As noites violentas do Porto são o resultado òbvio da educação que demos aos nossos infantes. Dos professores que julgamoss que temos. E isso mostra-se no processo de excluasão que alguns "docentes" - timidos, "fracos" e inseguros - se mostraram uns perante os outros porque pensaram que uns eram melhores una aos outros.. Porque, afinal, pensavam, cada um á sua maneira, que a sua vidinha estava ameaçada.
Não estava á vista. Não se deveriam ter formado professoras que eram lavadeiras. Por natureza, Ou lvaradeiras por conluio. A ignorância dessa gente gerou violência. E a violência dessa gente gerou nova ignorância.
O resultado da educação está á vista.
As mortes do Porto só podem ser atribuídas a quem está no meio da "conjugação social". Se é que ainda alguem se aceita por essa via, e não se obscura em "amantes" "whiskeys" ou "coisas de qualidade" - como gente que falhou na sua carreira - o quer que isso seja.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Cães Vadios e Jornal de Notícias

O Jornal de noticias, tal como outros jornais de "IMPLEMENTAÇÃO NACIONAL" não percebram a sua função. Isso deve-se a duas razões: primeiro, á formação básica de quem os dirige. Segundo, á formação daqueles a quem se dirigem as publicações.Os directores que dirigem o Jornal de Noticias são antigos deliquentes conheciddos. Que não vingaram na Musica e que não conseguiram ser os SEX PIStOLS. Devem ter achado os Sex Pistols uma banda "gira" Falo de David Pintes, uma pessimo vocalista de uma horrível banda chamada Cães Vadios em que pontificava um unico genio musical, o Oscar. O baixo. E o gentio chamdo David Pontes. David Pontes era um ambicioso moral. Foi nisSo que tornou. Não percebeu que os Sex Pistols eram uma banda politica num país politico. E não um Jornal de Comédias como David pontes conseguiu transformar o Joranal de Noticias. E dar voz a gente como o
Fernando Rocha. Oscar só queria musica. David pontes, queria as ganzas que lhe dão a inebriedade do pretenso popularismo. David Pontes é vulgar nas suas crónicas. Mau, Muito mau profissional. Nunca será o Miguel Esteves Cardoso - porque este era
amigo ds Joy Division e dos Sex Pistols - David Pontes, invejoso, não lê. Não escreve - escreve demasiado o que é o mesmo. Não vê um filme - vê demasiados o que é o mesmo. Não sai, sai demasiado o que é o mesmo. Deleita-se com o seu pretenso poder criado pelos seus amiguinhos pós-punk muito Labirinto e inconsequentes. Gente agarrada aos poderes que nunca darão em nada. São aqulio a que se cham urbanamente os profiláticos do poder. Mas eles não sabem. sabem é que tem amigos "arquitectos" e tal. Pelo menos podem limpar as lajes. Mas não sabem alinhar duas silabas. Toda a gente sabe que mais tarde ou mais cedo são esta gente que limpa as lajes. Por haver quem as limpou antes.A hegemonia que David Pontes está a tentar criar com o Jornal de Noticias não é a hegemonia musical, do movimento punk que
David tentou - não foi David Pontes foi o Oscar - incutir aos portuenses na decada de 80 e 90. A hegemonia de David Pontes é MORAL, Baseada em premsissas de vida - que ele enquanto "punk" pareceu combater. Não combateu, É uma criança. A criança que nunca saiu do lugar. Nunca saiu do luar. Eis a criança que não saiu daquilo. Nas convenções em que ele achou ter andado.Mas o povo gosta dele.

Naquilo em que os sonhos se podem tornar

What dreams may come.
Eis um filme que me reconciliou com o cinema. Depois de várias tentativas falhadas - tarantinos, magnolias, eastwoods e quejandos - o cinema parece ter recuperado a sua verdadeira
versão. A sua verdeira visão e fôlego. A visão e respiração que o criou, A pintura e a fotografia. A palavra e a linguagem. A estética e a sabedoria.

E só um genio o saberia fazer: Robin Williams. Não passou de uma intuição de um profissional ao ler o manuscrito original de Richard Matheson. É uma obra prima dos viventes. Não é uma obra prima do cinema ou da arte de representar, ou da pintura ou da literatura. Robin Williams sabe isso, porque quis transpor as fronteiras do universo muito diminuto, e miudinho, do cinema. E conseguiu. Forneceu-nos uma Obra Divina. Quem mais fornece Obras Divinas neste tempo? Hollywood está preocupada com as mais-valias. A que eu chamo mais-velharias. O cinema de autor, preocupado com a sua própria cena, os seus próprios mitos. O filme pornográfico ainda não saiu sequer dos mitos. E o filme documentário não passa de uma denuncia de uma realidade parcial. Restaria o filme de animação, mas essa caiu nos mitos - saudade de Hannah Barbera.
Robin Williams, o genio do cinema actual consegue dar uma visão profunda e simultâneamente muito leve acerca do que é a arte, a criação e a evolução. Mas não envereda por filosofias. Vai directo ao assunto.

O filme é lindissimo. Absolutamete belo. Apenas o filme mais belo que eu conheci e que eu entendi como tal.

Kurosawa se fosse invejoso virava-se no caixão. Wenders, virou-se concerteza, em vida. Mas não há mal na inveja, é um pricipio criativo.
What dreams may come é melhor filme que vi até hoje. Mas não é só o "melhor". É apenas o unico filme que vi. Chegou e venceu. E não foram nececessárias legiões ou um exército.
Varreu todos os outros. Felinis incluidos. Entrou e ficou. Permanece. Conquistou-me. Porquê?

Porque me devolveu a mim próprio.

Quantos são os filmes capazes de devolver o espectador á sua própria vida? Quantas obras de arte o são capazes de fazer? Sem concessões ou pretensões de agradar? Porque What dreams may come, não quer agradar, tem as cenas mais terriveis, jamais vistas. nem nos filmes de terror a sequência do "inferno" é tão bem demonstrada.
E tornada real, aplicada á vida e aos mitos mentais dos viventes. Nem Dante se supunha a tanto.


Num tempo em que a "cultura" é péssima - porque incitada - o cinema tornou-se num produto de divisórias classes, What dreams may come é uma lufada de ar fresco. No cinema. na cultura e na recuperação do que é realmente importante - neste caso os icones, os verdeiros ícones da America. Mas também os verdadeiros icones dos viventes. O deserto, as ficções, o amor, o outro, a relação, o acaso, a estética, o valor. O valor das coisas. O contrário disso. E o resultado de ambas as coisas. O resultado do mundo criativo aplicado á critividade do cinema.
Dizer que o filme é genial é clasificar os outros filmes como tendo algum valor.

Não têm. Este é unico filme que a America fez. Que eu conheça.

Tal como as Asas do Desejo - de Wim Wenders - que foi o unico filme que a Europa fez. O resto ou é entretenimento ou "cultura".

Max Von Sydow no papel de um Deus presente que encarna na perfeição a antítese cultural vigente. Num tempo em que o Ideal é não viver com deus, mas com os seus pretensos derivados, e antitéticos, William demonstra a Realidade Fundamental da vida. Num filme, não mágico, nem científico. Mas vivo. Muito vivo. De olhos muito abertos. William percebeu para que serve o cinema. Os estudios cinematográficos ainda não. William sabe que, como á medida de Andrei Tarkowsky, uma obra de arte é para esculpir a vida. Este filme tem aquilo que faria Tarkowsky sentir-se muito feliz - um artista sabe e quer: mostrar que VIDA continua. E recomeça sempre. Algures. De outra maneira. Que não se resume a um engano temporal de critico. De uma infeliz maldição, desacertada pelos que não interessam.

Tenho visto os chamados "filmes de qualidade" que os criticos recomendam e francamente deu-me vómitos a vida que os criticos devem estar a ter. What dreams may come é classificado como um filme quase bom. Fui ver os filmes «bons» dos criticos e confirmei a minha teoria: a
vida dessa gente é desesperada. Estão a criar a realidade que merecem. É o que What dreams may come lhes quis dizer. Mas eles, como é costume, não perceberam.

Por isso criticos, como é costume.

A isso se chama costume. Nem sequer tradição. Nem sequer bons ou prestam.

O terror BIAL - EFEITOS SECUNDÁRIOS

BIAL é uma empresa farmaceutica que dizem ter muito "sucesso". Não tem.
Tem financeiramente. Não tem em resultados de vida. Tem em resultados medicos, que não é o mesmo do que ter resultados de vida. A BIAL é responsável por mais mortes do que curas. Os
seus produtos têm tantos efeitos secundários não testados que levam a mortes e á criação de novas doenças. As pessoas não querem morrer, Mas a Bial acha que querem.
A BIAL quer "curar" as pessoas que não querem morrer. A intuição do vivente é de que a regeneração está a vista, é uma questão de de 3 dias. Mas a BIAL achou que a regeneração do corpo depende de substâncias. E de mais do que três dias. Provavelmente anos, para que os seus produtos sejam comprados e consumidos.
A Bial, como outras empreas farmacêuticas são empresas ao serviço de interesses financeiros particulares identificáveis. Senão fariam isto: será que aceitavam a acumpuntura como meio de de cura? Aceitavam deus e divindade na cura? Como eu vi acontecer?
Mas não, preferem o velho chã.
E o velho chã sofisticou-se em pastilhinhas. Feitas pelos BIAL.
A BIAL, uma empresa assassina, não aceita isso. Acha que faz para o "bem" da vida. Mas a vida não conhece "bem" nem "mal". A BIAL é uma empresa assassina, e eu posso prová-lo. Basta fazer uma visita - não organizada - aos seus laboratórios com gente especializada e gente de outras formas de cura. Porque não há nada a curar.
È o regime de terror subrrepticiamente imposto pelas pretensas tecnologias de cura. Há cancros que se curam numa hora. Ou em dez segundos. Não se conhecem cancros curados por medicamentos. Muito menos pela BIAL. Mas conhecem-se mais efeitos secundários dos medicamentos pretensamente curativos, do que as pastilhinhas BIAL.
Mas quem cura os cancros numa hora não tem os Alfa Romeos da BIAL Por uma razão simples: não lhe interessa. Porque a BIAL não existe. É uma empresa ficticia onde se fazem experiências com seres humanos. Se fazem experiências acerca da vida. Tal como eles pensam que é. Mas a vida não é como as farmacêuticas e os cientistas deste obtuso tempo pensam.
A vida É.
A VIDA É.
Porque não investigam a BIAL? Têm medo? È inimputável? Não é. E digo-vos mais, não é precisa para nada. O Tempo vos dirá isso. Não precisam é de morrer por causa disso. Deixem de comprar medicamentos - são apenas experiências laboratoriais!
Vocês são as cobaias.
Só que as farmaceuticas ainda não vos disseram isso. A não ser quando vos apresentam um prospecto onde dizem: EFEITOS SECUNDÀRIOS.

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Mulheres portugusas FEIAS FEIAS FEIAS

São feias.
Horriveis.
Obtusas. Inglesas.
Perseguidoras. Mamudas. Nem falo do silicoe.
Sem pelos na cona.
Tudo o que é mulher em Portugal é parecido com um uma luz fluorescente: interessante mas nunca ilumina o suficiente.
O segredo de Fátima incluído. Tal coisa é uma merda.
Não há nenhum segredo de Fátima Há é uns gajos que não comiam há uma semana que acharam que viram umas coisas - inventaram - e toda a gente se aproveitou deles. Poderiam ter visto uma bosta de merda. Mas não. Deu-lhes para aquilo.
Gajas feias feias feias. E se tentarem melhorar ainda são mais feias.
Por experiência propria.
Pesoal lá do exterior - Indonésia, Ucránia, Moldávia - venham-nas cá comer, porque o tusão fugiu-me para o cu. De gajas tão feias.
Feias feias feias.
Mais vale um filme feio. Da familia Copolla ou Tarantino.

Um Movimento começou

Gente "feia" será bela.
Gente bem cairá.
Gente loira mais loira será.
Gente católica morrerá.
Gente fedorenta mais fedorenta se tornará.

É TEMPO DE MUSICA, MUITA MUSICA MUITA ARTE!
Esta é a verdadeira Politica!

Funcionários e desempregados.

A sociedade encontrou uma nova luta social. Isto aconteceu desde que as ideologias terminaram.
Não há luta ideológica nenhuma. Há é a modorra. E a clivagen da distinção, mas não da diferença. Não há nenhuma divisão social. Mas uma pretensa ideia apocaliptica que anda por aí - talvez inspirada na Biblia, ou no obtuso Corão , ou no Ghitta, livros escritos por mãos de homens interesseiros - a ideia de que uns são melhores que outros., uns recebem mais que outros Que há uns que são profetas e outros não. Até há cursos universitários que o tentam demonstrar, empregos, filmes que o dizem e tentam confirmar, isso na obvia gloria de conquistar publico, para um Deus louco, critsão, judaico ou muçulmano hindu ao passado dos carretos.!
A divisão é a profecia. Mas é a profecia a do comercio. Se eu divido o todo só quero uma parte. Para que a outra parte se lembre de mim. E me compre, afinal, por exclusão, também. Não resultou. O povo já está vacinado.?
Os bichinhos não. E então a unica profecia que existe? A PROFECIA COLECTIVA? Ainda se lembram? Ou é preciso um filme péssimo da familia Copolla para vos lembrar? Claro que não, porque todos os filmes Copolla são péssimos. (Mas pior são os Tarantino - private joke). Era preciso fazer melhor. Evitar os criticos, perguntar ao coração, Ter vida própria.
Talvez musicas seguidas dos SEX PISTOLS esses arautos da contrariedade. Evitem o jazz. Exceptuando Baker, Harper e Haden, o jazz foi um refugio e o refugo de uma opressao social evidente. Mas não misteriosa. Não existe tal coisa na vida: o Mistério.
Os que estão desapareceram. Estão. Mortos. Num caixão. Ou são industriais, o que vai dar á mesma coisa.
Nunca foram nada nem fizeram por fazeram outros alguem, por isso são indutriais ou "empresários". E a gente que os ature. São essa gente que se queixa de pagar aos que não podem, as ficções que eles "pensam" ter criado.Técnicos de gabinete sem uma unica ideia de vida a não ser o seu próprio conforto. E a gente que os ature.
A sociedade portuguesa? A gente que os ature!
A musica portuguesa? A gente que os ature!
Os funcionários são a gente. Os desempregados são quem?
Os empresários são os que criam o quê? Quem?
Para onde vai a sociedade portuguesa?
Tal coisa existe, a sociedade portuguesa? Temos que a aturar?
E eu?
Tenho que aturar a sociedade portuguesa?

DEMITA-SE JOSÉ SOCRATES

Demita-se Sr. primeiro Ministro,
São os "outros" que lhe pedem.
Demita-se Sr. Engenheiro (é?). Se tiver tomates.
Não tem, tem perfumes, por isso como é a tradição do seu partido e da "politica portuguesa" agarrar-se-á ao poder. Ou aos perfumes.
Legitimando de uma maneira célere os seus criticos. E descuidando as evidências sociais.
Mas os seus criticos não são o Gato Fedorento. Os seus Criticos é toda a sociedade paralisada. Uma sociedade paralisada porque dividida entre as benesses e os arbitrarismos do funcionários publicos e os "outros". Sempre os "outros". Não leu Martin Amis, Sr. Primeiro Ministro? Não leu nada, por isso ainda pensa que é poder. Leu Cesariny por ser giro em época. Não é?
Cesariny não é um génio. Garanto-lhe. Nem você. Nem os que você aclama que o apoiem. Gato Fedoreto incluído.
Toda a sua administração o tem dito: você não tem poder nenhum. Por isso eles não tem poder nenhum. E tudo o que VOCÊ PEDE É AJUDA.
E tudo o que Administração publica pede é AJUDA.
AJUDA?
AJUDEM-SE!!!!!
Fui agredido pela policia que você comanda por causa de uma carro "mal" estacionado.I
Isso é Estado?
Mesmo que eu fosse o maior criminoso do mundo! È este Estado que vai reformar a sociedade portuguesa quando bate nos seus cidadãos, o seu próprio Estado? Eu também sou estado. Um estado que bate em cidadãos sem culpa formada e depois não reconhece o facto?
O ESTADO SOMOS NÓS TODOS!
Garanto-lhe Sr. Primeiro Ministo que levarei o caso a tribunal até ME TORNAR MULTIMILIONÁRIO.
Repito: Sr. Primeiro Ministo levarei o caso a tribunal até ME TORNAR MULTIMILIONÁRIO.
Garanto-lhe.
Encontrei a missão da minha vida: Direitos Sociais, Estado e Cidadania!
Obrigado à policia de Vila do Conde! Mesmo que eu fosse o Bin Laden, Alguem gostaria de me ver maltratado por sete policias na rua? Se eu visse alguem ser maltratado assim indignava-me. Mas eis a sociedede que você está a criar: ninguem se indignou que uma pessoa (culpada ou não)
fosse agredida por sete policias nas ruas de Vila do Conde. Sete contra um! Eis a bela sociedade de Vila do Conde, e das Curtas Metragens, blá, blá, blá!!! Que você finacia para branquear as consci~encias portguesas.
Mais do que cinco contra um! Mais do que punheta!
Ninguém, e havia civis! Que não denunciaram nada. Talvez pensassem: "ali se faz justiça!". Apenas querem bruxas na fogueira. E subsidios ás Curtas Metragens que não funcionam. Esta é a sociedade que o Sr. Ministro, espero demissionário, está a criar. E está a financiar, meu caro, demissionário. A financiar: psicólogos, asistentes sociais, sociólogos e isso - gente inutil de uma sociedae inutil apoiada no conforto e em gabinete que é o que o Estado quer. CONTROLE!
Ó Senhor (posso tratá-lo por Engenheiro?) ainda acha que toda essa MERDA funciona? O Senhor ainda acha que esta sociedade funciona? Basta olhar para os interesses dos blogues dos seus acessores para ver o que realmente interessa!
DEMITA-SE JOSÉ SOCRATES.
EVITE UM CAIXÂO!
Demita os subsidios a toda sociedade Portuguesa a ver se ela gosta.
Não continue a deixar cair o SEU poder nas mãos da incontrolável policia, e na da gente que "pensa" que é poder.
Você é ridiculo se o não fizer. Você é ridiculo por si só. Mas isso não interessa.
Já fez dos seus acólitos ridiculos. Agora é a sua vez.
É capaz de ser alguém na vida com poder?
Só tem uma portunidade. Esta.

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Deus nos livre dos BREYNERS. Como pediste assim seja.

Nicolau Breyner nunca deu á sociedade portuguesa o que quer que tenha sido.
Foi buscar á sociedade portuguesa aquilo que ele poderia ter sido.
Nunca foi o que ele poderia ter sido.
Nicolau é um "pai" ressentido - tal como ele pensa que o seu proprio pai foi para ele - e por isso nos "inunda" de péssimas ficções. Tipo Eça de Queirós. Já para não falar do seu estudio empresarial á custa dos portugueses dentro das intalações da RTP.

Se afastarmos Nicolau Breyner, e todos os os Breyners (Sophia, incluída) da nossa sociedade pode ser que ela NÂO volte a funcionar outra vez. Pelo menos como Miguel quer que ela NÂO funcione. Ou pelo que ele não quer, na realidade, fazer por isso. Apenas escrever artigos irados. Que ninguem compreende.

Viva o Miguel Esteves Cardoso.
O unico escritor vivo.

P.S. - Aos outros escritores: estão mortos porque utilizam linguagem morta.

Humor versus Comedia

A comédia é uma placa de trânsito indicando o humor.
O Humor não precisa da Comédia. Para nada.
O Humor é deus a "vingar-se". Mas como deus não se vinga isso é comédia.
A comédia é o poster. o Humor acerca do Kilimanjaro.

Eduardo Madeira poderia, e teria sido humorista se tivesse percebido isto. Herman percebeu.
Mais nenhum humorista esteve tão perto do HUMORista chamado Herman como Eduardo Madeira. A meu ver , vai ser o proximo génio da comédia. Se Heman se decalcar. Coisa improvavel. Se Eduardo Madeira se decalcar.
Mas saltou-lhe (ao Eduardo) a placa dos dentes. Não foi? Ao Herman! Ao Herman! Digo eu.

Ao Eduardo Madeira eu aconselho DOSES (quadripulicadas) de:
George Burns (a internet é a tua melhor aliada)
Monthy Pyton- nem valia a pena dizer, mas refresca.
Anjos na America - Herman odeia. Mas é brilhante. Herman não é.
A Biblia.
O Corão.
Samuel Beckett - aconselho as vozes e as personagens, as peças radiofónicas, que estão na internet, executadas por Samuel Becket. - O genio da Linguagem.
Filmes portugueses que querem ter "cota" de "mercado".
Todo o trabalho de Nicolau Breyner - ninguem pegou mas é o homem mais risivel de Portugal e que ninguem quer dizer - preciso coragem. O homem pensa que é poderoso. Não é. É uma merda de um gajo que bebeu uns copos como eu e se julg ainfiltrado - Uma mina de ouro.
Psicólogos e os seus designios para ganharem dinheiro - uma mina de ouro.
Woody allen.
Enfermeiras. Herman odeia ou acha "giras" que é o mesmo.
Médicos. Herman só os "conheceu "no alto mar.
Gurus. É ele.
Os tentadores do poder. Normalmente começa-se pelos mais fáceis, tipo " o governo". Escolhe tu para "onde" se dirige a sociedade. Aconselho leituras de Herber Read.
E uma investigação etimologica acerca do "Humor" e da " Comédia"? Tipo Tese de Mestrado?
Não?
O Herman caíria em cima de ti?
O gato fedorento? Os controladores das produções ficticias?
Nem um.
P:S. Era suposto a humanidade viver sempre em festa. Alguem a lixou a festa. E quem está a ganhar com isso? Os humoristas que temos?
Não. OS COMEDIANTES QUE PENSAMOS QUE SOMOS.

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

O Corão é uma fraude

Quem ler o Corão sabe que tudo aquilo não passa de uma merda.
O Corão é uma merda. Merda cagada por Alá, um bêbado, gosto de bêbados, mas Alá só bebia merda, como dizem os muslins actuais- mas que no Corão era um santo, não era, era um toxicómano, um lunático que ninguem entendeu na sua época, nem hoje - mas que no Corão é o caralho de um homem!
Aliás o Corão é tão cheio de erros semânticos que só uma sociedade que instiga á ignorância é que acredita nele. Os muçulmanos são pobres porquê? Por causa da biblia? São pobres por causa dos ensinamentos de Alá.
As unicas virgens que terão no céu serão a sua mãe.
Alá é o maior filho da puta da história. Um homossexual. Alá é Homossexual!!! Não?
Alá é um corno e todos os seguidores de Alá são cornos.
Alá Rillo.
O Alá que se borrou ao cagar-se todo diante de uma mulher. Que não era a sua mãe.
A biblia não é melhor.

Van Gogh, Picasso e Augusto. Eu. E Mondrian, e Monet, e Beckett!!! E Salieri.

Muslins

Vou regularmente a uma bomba de gasolina comprar tabaco.
Um dos empregados, de verão, exibe tatuages incomprrensíveis do Corão. No braço. Queriam onde?
Òbvio que o Corão é o maior manual de guerra conhecido. Só quem não lhe deu uma espreitadela. Aliás basta conhecer a biografia de Maomé.
Cada vez que lá vou só espero que a criatura tenha desaparecido.
Mas não. A British Petroleum finacia-os.
BP Alfena.

Samuel Beckett

Les pochades radiophoiques de Samuel Beckett.
O génio da literetura está disponivel na Internet.
Dias e noites. Seguidas.
A lixar a policia de Amsterdão.

AURÈLIO (Dacasca, Cais, Lux)

Foi meu amigo do liceu.
Não da minha turma senão tinha-se tornado como eu.
O Aurélio foi sempre popular na sua maneira discreta de ser. Uma Espécie de Ying do ser. Claro que havia nele um Yang. Ou o inverso.
Na sua distância nunca deixou de me respeitar - e, por isso, eu a ele. A si e aos que o rodeavam Aurélio deixou sempre uma "aura" no ar. Uma aura. De liberdade. Por isso nunca me admirei muito quando o encontrei de Mercedes SLK e/ou Ferrari.

Nunca temi respeitar ninguém. Desde que o não me exijam. E Aurélio não exigia respeito. Por isso tinha-o. Por si mesmo. Primeiro.
Os respeito dos outros eram um reflexo do respeito que tinha por si mesmo.

Nunca exigi uma "porta".
Ao longe, olhando-o, deixava-o fazer o seu trabalho profissional. Eu, que normalmente saio, por opção, so"zinho". E se há um amigo ou amiga que precisa de festa estava lá para eu o/a entreter da maneira como sabia.
Quando me colocava diante da porta, fazendo-me visivel, ele notava-me ao longe. E sabia o que eu queria. Entrar. Por vezes, um olhar era o suficiente para esperar ou para partir. Ele conhecia as pessoas. Sabia transmitir, da sua porta, quando era possivel ou não entrar numa das discotecas em que ele deu a cara. Cheguei a entrar com cinco amigos, ao mesmo tempo. Já para não falar na festa privada dos Madredeus no Dacasca.
Cheguei entrar com amigos, gajo-gajo, no Cais. Solitários sem convicção. Ele conhecia os tipos.

Aqui há uns dias, vi , de relance, uma noticia num jornal que um porteiro tinha sido morto a tiro. A mim deu-me em nada. Ao tempo que estou afastado de discotecas. Mas, meses depois, disseram-me que o elemento que os jornais noticiaram tinha sido o AURÉLIO.

Acreditei de imediato.
Por uma razão: a noite é tão má neste momento que nem vale a pena saír.
AURÈLIO estaria numa trapalhada financeira, dizem. Não acredito. O que acredito é que se deixou de investir na noite em favor das trevas. E alguém, estava por detrás disso: a policia de Amsterdão.
Os "bont-vivants" de outrora, que Aurélio apoiou e ajudou a criar desapareceram.
Apareceu uma nova fauna: os ambiciosos. Os que tentam impor a sua lei. A policia de Amsterdão. Tentam impor porque não há lei nenhuma. Para eles.
Vêm de pretensamente de "Passos de Ferreira", Vem de um inferno e "tentam" criar um novo inferno. Para viverem no paraíso que tentaram criar.
Vêm do funcionalismo publico, são empregados descontentes. Que deixaram de ser criativos. E a maior vitima "será" sempre a mais visivel - isto é quase uma lei policial. Excepto para a Policia de Amsterdão.
O Porto mudou. Mas não para melhor. Tal como país. Abriu-se uma caixa de Pandora para que a maior parte dos bichos que nunca viu a luz ficasse deslumbrada com o seu aparente poder.
Foi o aparente poder de um bicho que o instigou ao assassinato de Aurélio.
E esses bichos estão na policia. De Amsterdão.
Esses bichos estão num estado final. Em ruptura, que tentam salvar a todo o custo. Porque lhes deu o que nunca souberam querer.
Esses bichos estão disseminados.
Estão nas competições.
A bicharada está em todo o lado. O Problema é que eles não sabem, dizem, que são bicharada e os politicos demagogos incentivam-nos, mais e mais. "Emancipem-se" dizem os politicos actuais, resguardando a sua pretensa popularidade. "Emancipem-se". Parecem a critica de arte dos anos 90.

A violência de morte que Aurélio sofreu não foi por acaso. Talvez ele próprio soubesse disso antecipadamente.
Eu que deixei as discotecas há anos, hoje pergunto: ONDE ESTAVAM OS AMIGOS DE AURÉLIO, NAQUELE MOMENTO?
Onde deviam estar?
Presumo. A conspirar sempre contra os que mais vos querem e vos alimentam. É uma lei Universal!
Não tem sido sempre assim desde o principio da história animal?
Mas não desde que estamos juntos.
Muito menos desde que deixamos de ser animais.

Foi um animal que matou Aurélio: Foi outro animal que permitiu que isso acontecesse.
Essa foi a mensagem que AURÉLIO deixou.
A mim.

Sabem uma coisa?
Agradeci sempre uma "porta".
O Aurélio sabe disso.
Fica entre mim e ele.

Não sei quem matou Aurélio, nem as causas.
Nem isso interessa.
Mas sei que não foram os seus "inimigos". Os mesmos que, por oposição, o ajudaram a ser quem se tornou. Nenhum inimigo mata inimigo. È um principio Universal.
Sei que Aurélio "sabia" umas coisas. Acerca de "certa" gente. Muito incómodas. Muita gente sabe isso. O Gato fedorento e a sua versão populista não gosta. Porque sabe isso.
Mas a noite continuará e as trevas são apenas um indice da proxima claridade.
Day and night...i'll be the one. (Sinatra, ou Aurélio?).

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

LUX Porto a discoteca dos zombies

Desde que o meu amigo morreu, já antes, era a discoteca LUX a discoteca mais zombie que se conhece. Só o nome dá medo!!! Mas um medo cultural não real.
Claro que quando o meu amigo morreu eu fiquei triste: deixou-me entrar no Dacasca e no Cais. Sem gaja.
Nunca se conhecerá gente tão obnóxia como esta. Falsos leões. Falsa gente em tudo o que faz. Uma gente que não sai dali.
O meu amigo sabia isso. Talvez tenha pago por isso. Mas não pagou por isso. Nunca pagou por nada. Por isso era meu amigo.
Criou-se uma sociedade de medo - putos, putinhos, putas e putinhas que julgam que têm poder instigados por velhos cheios de medo do que se está a criar. Que estão a perder o poder por todo o lado e estão a criar uma falsa ideia de poder á juventude. Legando-lhes narcos.
Estas discotecas de nome pior que Sá da Bandeira legitimam essa gentinha. De Peugeoet.
O meu amigo foi assassinado. Ele sabe quem eu sou. Os leõzinhos ainda não sabem. Nem imaginam.

A discoteca LUX onde eu não entrarei jamais é uma discoteca muito feia. Para parvos que julgam que chegaram ao cimo. Não chegaram porque nem limparam o rego do rabo - daí a fama que a discoteca tem de mau cheiro.
Porque fechará em breve por demasiada policia lá dentro. E eu e a policia somos como um ovo: ou há clara ou gema.
E ali só há gema. Eu sou o piorio. A clara. A policia portuguesa é que é o melhorio da sociedade. Nota-se.
Os policias não têm nada a ver com isto. Nem quiseram nem têm a ver nem nada. Nem a gente de Passos de Ferreira.
Estão lá "por acaso". Entram "por "acaso". nem tiveram nada a ver com a morte do porteiro nem nada. Por acaso. Em Portugal é tudo "por acaso."
No Porto vive-se. Muito. Então na Lux é que se vive. E ela é tanta gente vivente!!! Que até pensa que pode voltar! È disso que trata a gente vivente.
Pensar que pode voltar a si própria.
Que pode viver.

Palhaças & palhaços

Dá o quê?
Palhacinhos.
Estão nas vossas escolas, dirão "nós" (em vez de "eu") e juntar-se-ão á policia.
Mais tarde ou mais cedo dizimarão parte de vós.
E dirão que foram "vós".
Em vez de "eu "ou "mim".

Esta é a minha história.
Não a vossa.
Alguém dirá alguma coisa por mim. Por não ser mim.
Alguém dirá alguma coisa por vós, por não serem vós.
E não estar com vós.
A vida não é assim. Mas é assim que "vós" quereis.

Vinho tinto ou branco?

A distinção está.

Musica de downloads

A maior parte da musica que ouço obtenho-a por downloads.
Já não me arrependo dos discos que comprei.
Por isso, isto da Internt é excelente, excepto para o tipo que fazia musica com uma caneta BIC.
É bom para a BIC, mas não era para a musica porque o que ele queria era que a sua caneta BIC não fosse vendida. E não foi. Até se gastar.
Eu explico:
Havia um tipo que fazia uma melodiazitas, punha uns musicozitos, contratava uns designerzitos, tudo isto com uma BIC.
E o publico comprava o producto final. Que era eleborado, desenhado, pela BIC. Nem ele sabia.
Um dia alguem se perguntou "porque raio compro eu sempre estas coisas"? É alguma adicção -leu uns livros de psis - ou apenas um vicio? - os livros de psis não faziam efeito.
E foi investigar.
Mas não encontrava nada, nenhuma resposta satizfatória.
Qual o mistério de todo este sucesso? Era ainda a pergunta. Tudo era demasiado elegante. Profundo ou feito nos braços dos deuses. A seus olhos. Naquela época. 1975.
Um dia, nas suas notas ele não tinha como escrever e pediu uma caneta. Isto aconteceu num bar reles. E um tipo ao seu lado, barbudo - como sempre nestas histórias - mas vestindo Armani que ainda não existia, deu-lhe uma BIC.
Casualmente.
Por acaso.
Infrutiferamente.
Aleatoriamente.
E...como não podia deixar de ser:
Acidentalmente.
Ele não se apercebeu. Da BIC. Da especialidade do instrumento. Mas a partir daí ele obteve respostas. Pela BIC.
Não havia musica nem pautas nem designers. Apenas uma BIC. Que lhe dava respostas. Mas nenhuma cerveja.
Era ele que tinha de dizer:
- Mais uma!
- Igual? Perguntava-se do outro lado do balcão.
- Sim...pode ser. Dizia. Aparetando dominio.
- Est ce q' il y a d'argent?
- Bien sur! Dizia ele. Teso.
E era uma BIC que estava atrás do projecto. E era simultâneamente uma Bic á procura de respostas. E por aí adiante.

Moral da história: Nenhum ser humano bebe mais laranjada ao pequeno-almoço do que um alce. Ou dois. Do outro lado do balcão.
E uma BiC.

Novos espiritualistas.

A terra está cheia de gente que vos propõe transformarem-se.
Gurus.
Avatars.
Profetas.
Instituto do Emprego.

Mas ningum se apercebe que não sabe aquilo em que vos querem transformar.

Dou um exemplo: tenho um video de um tipo que toda a gente já viu - Deepak Chopra. Que propõe uma transformação para vida.
Mas, só para usar a lógica: se ele propõe um video para uma vida melhor é porque a vida está mal, logo ele pensa que a vida está mal, logo a vida má é ele, que a pensa assim. Porque o deveríamos ouvir?
Presumo que ele esteja a falar para um cemitério.
E olhando para a sua assistência está.
Depois propõe que a vida seja um sucesso - Belmiro de Azevedo saíu logo! Bill Gates começou a cantarolar umas melodias de John Denver e foi para o bar.
Depois propõe que a vida seja feita em "prol dos outros" - Madre Teresa de Calcular dá graças a deus por não ter de o ouvir.

A vida está cheia de espiritualistas. Numa pretensa guerra divisória entre materialismo e espitualismo.
Mas lembrem-se de que quando o profeta refere, nesse bravo livro que é a Biblia, e disse aos materialistas - os tipos que íam ao Jumbo - "olhai os liirios do campo", numa assumpção do dizer que "não precisais de nada para vos fazer viver" esqueceu-se de mancionar isto:
- E quem nos desenterra? Perguntaram os lirios do campo.

Ricky Gervais e a serpente

Ninguem conhece Ricky Gervais.
Só eu.
Eu não sou Ricky Gervais.
Mas fiz o melhor numero de comedia de sempre:
Como é que deus inventou um Adão e uma Eva e lá pôs uma serpente?
Para que serviu?
Para uma coisa: confundir deus acerca do proposito da própria serpente.

O melhor numero de comedia de sempre. Uma serpente que é condenada por deus. A rastejar!
- Não poderiamos voltar ao normal? Perguntou a serpente. A voar, ou isso?

Isto de um deus que:
1º Criou o céu e a terra.
2º Criou a luz.
3º Criou o céu e a terra na escuridão.

CONTROL, a vida de Ian Curtis (Joy Division) por Anton Corbjin

Há uns tempos que tenho downloads ilimitados.
"Aí peguei" o e-Mule e tentei roubar os filmes da Internet.
Control, de Anton Corbjin ( o fotógrafo do U2) acerca de Ian Curtis foi um dos que mais se me evidenciou.
Fiz o download duas vezes. Mas nas duas vezes deu mensagem. Quer dizer, das duas vezes a vida de Ian Curtis apareceu-me de modo i(n)diossincrática:
1º O primeiro download era de um vídeo amador de umas gajas e uns galos - ou gajos. Nem me lembro. Mas não era sequer daqueles que eu guardo no meu computador, para ser eleito presidente da Câmara.
2º O segundo video era um outro video amador de campeonatos de gajas em mini-saia a mijar.

No primeiro, eu admito ter sido um erro de download ou tipos brincalhões que conhecem a popularidade de Curtis. Mas no segundo eu interogo-me: não será a que a vida Ian Curtis terá sido mesmo assim? Uma vida de gajas a mijarem?

Ora pensem bem. Nas vossas vidas. Outra vez.
A vida não é apenas um campeonato de gajas que só querem saber quem mija mais longe?
Pensem outra vez!

P.S. - A banda sonora desses filemes não se compra a "transmission", "new dawn fades" ou "she´s lost control", "atmosphere", "decades". Compara-se a um furo no pneu do carro num monte que ninguem conhece e por isso não vos podem resgatar. E nesse local aparece uma lista telefónica rasgada. mas nenhum telefone num raio de seculos.

Ajudem-me! Não tenho ninguem de quem dizer mal.

Perdoo ao Gato Fedorento por só ter dois politicos nas suas vidas: Sócrates e Santana.
Perdoo aos GNR por terem aparecido quando toda a gente apareceu.
Perdoo ao Abrunhosa por ter sido o poeta que mais ninguem quis ser.
Perdoo a Geoges Bush por se tornar no alvo que mais ninguem na sua adminstração se quis tornar.
Perdoo á Comunidade Europeia por se esconder em teias de escritórios.
Perdoo ao Papa por se perdoar a si mesmo.
Perdoo á policia estrangeira por ajudar a esconder Maddie.
Perdoo aos Media por não darem noticias de interesse.
Perdoo às multinacionais criarem emprego.
Perdoo o Arrefecimento global.
Perdoo o Aquecimento global.
Perdoo a Mornice global.
Perdoo á Cesária Évora e a todo o povo de Cabo Verde pela Mornice Global.
Perdoo á Aminstia Internacional o facto de ser uma associação livre.
Perdoo o perdão.
Eu perdoo tudo.
Principalmente a mim.

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Juízo

Os deepak chopras desta vida dizem não façam "juízo".
Eu faço - não sempre porque isso não é natural - e gosto de pagar por isso!
Não quero a vida de Deepak Chopra.
Ou ele pensava que sim?

Claro

Claro que não penso nada do que digo.
Só reajo, verbalmente.
As palavras são feitas de quê?

O segredo

Apesar de tudo isto houve um tipo que escreveu numa nota de 5 euros : "15 milhões de euros". E ganhou os quinze milhões de euros.
Porque ele era mais do que a porcaria dos seus amigos.
Aqueles que o tentaram lixar. Todos os dias porque o odiavam.
Ganhou 15 000, 000 de euros só porque o quis.

Sair

Em portugal não é facil sair.
È mais facil ir para dentro.
Porque sair implica levara na tromba da policia.
Isto é portugal.
A versão da policia.
Má mas é.

Xutos e pontapés num Portugal falso.

Nunca foram uma grande banda.
Mas havia um "publico" que dizia que sim.
Nem eles acreditvam no seu " sucesso". Não havia. Nunca houve havia era um clima de falsidade que lhes deu uma "aura".
Não criaram nada de novo.
Eles sabem isso.

GNR a melhor banda portuguesa porquê?

Porque só tinham uma coisa boa: gostavam de musica!

Que tal?

The Chameleons

Simplesmente a melhor banda de sempre.
Influenciou os Echo and the Bunnymnen e os Sex Pistols.
Tudo o resto são criancinhas. A brincarem a qualquer coisa que nem elas sabem porque os pais delas e as escolas delas estão confusas e não fazem nada acerca disso.
Não sabem.

sábado, 3 de novembro de 2007

LIBERDADE LIBERDADE LIBERDADE

Não venham a Portugal.
Please don't come to Portugal!
Peço-vos isso, por favor!
I ask you this!
Mas peço-vos iso mesmo!
I really ask this!
Peço-vos que não aceitem qualquer Europa!
Please don's acept the European Portugal!
Posso contar uma história acerca do que está a acontece em Portugal?

Ontem fui jantar a um restaurante.
Á saída havia 7 policias (europeus) que me bateram!!!
Isso nunca aconteceu num pais da America Latina!!??

Eu sei que Jesus Critso arruinou a Europa.
Eu sei que sou tão livre como Eu.

Que tal???
Que tal é que é ter nascido livre??????
Que tal?


Que tal é que é?

Que tal???

Não é a America Latina é a Europa. A merda de Portugal a tentar ser rica e a abandonar o seu comunitarismo.

sábado, 27 de outubro de 2007

Génio da Literatura

Por causa disso.
Palavras que seguem, renascem.
palavras que são. Conseguidas renascidas ditas, tais como o que é dito. Continuado. Por continuar. palavras continuadas. Sempre continuadas.
Ter dito isto como sempre renascido. Como sempre ser possivel, recomeçar.
Reiniciar tudo isto.

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

domingo, 21 de outubro de 2007

JK Rawling é filha de gay? E que caralho interessa isso?

Parece que os livros de Rawling terminam "mal".
Um termino que ela propria dá á sua vida. De escritora. De frete.
Mexer nas palavras não é inconsequente porque pode ser sempre mudado. Como qualquer outra coisa na vida. Por isso, Rawling pode perdoar-se primeiro a si própria.
Os livros que Rawling escreveu para crianças, manifestam-se agora, como tão inválidos como o fim que ela lhes deu.
Rawling nunca gostou das crianças. usou-as.
Nada que as crianças, e os seus pais, não estivessem de acordo. Porque ambos os consumidores e produtores são produtos de excrecências mentais de adultos. Da época. No mesmo sentido Carlos TÊ e Rui Veloso preparam frete semelhante para crianças com ambições pessoais semelhantes. Nada que não tenham tentado na sua "carreira" (camioneta).
Não fosse a sua riqueza, Rawling teria sido declarada, pelas mesmas declarações, inabilitada para se aproximar de qualquer criança. Coisa menor. Eu sugiro, proibida de se aproximar de um livro? Isso sim. Mas o dinheiro é um estatuto. E muto dinheiro é inimputabilidade.
A criança, para quem Rawling escreve, é ela mesma.
Ressentida com o seu pai (olha a qui o discursozinho psi), furiosa com os de pelos na cara (olha aqui os discursozinho social), a quem por ausencia de "talento" (olha aqui o discursozinho institucional) chama "gay". Fácil. E resulta. Mas só se for rica e viver isolada.
TÊ nunca tinha pensado nisso, porque ficou bloquedo por Gore Vidal.
Para pegar no discurso psi, claro que Rawling barafusta contra o seu pai - que a teoria psi aceita aqui como gay - mas se o seu pai era "gay", como raio foi ela concebida? Ou é irmã de Jesus? A não ser que o seu pai fosse Jessus e esse sim seria quem é o Carlos TÊ. Ou coisa pior.

Para quem escreve para crianças daquela maneira, não poderia ser outra coisa. Rawling não tem nada nos seus livros. Eu tambem não nos meus - espero -. mas pelo menos são livros. Ela editou, eu nunca, mas por convicção, porque acho que os meus são maus.
Não me lembro de ter feito qualquer juizo acerca do comportamento sexual de outrem.
Não porque não consiga.
Apenas...que importãncia teria?
Rawling isolada do mundo é como o mundo, faz juízo. Crucifica o Cristo, na primeira cruz que encontrar. E vê pecadores nos barbudos.
Ou não?
Ou é só um truque para ganhar dinheiro? Ainda é?
Ou já tem o que queria e por isso pode pagar para dizer o que lhe interessa?
"I don't know" como diriam os egipcios. Ou os turcos, ou os gays. Ou os D'Acolá.
Os outros são sempre maus. Ruins! E nossos amigos ao mesmo tempo.

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Os audis, os mercedes, e a putaria portuguesa.

Ontem, parecia que um Audi me acossava. Não etendi a mesagem dele. Porque não havia mensagem nehuma, apenas um condutor embriagado coberto por um Audi. Que era uma gaja e um puto. Ou invertendo a polaridade uma puta e um gajo. Nada de execrável. Mesmo assim.
Resolvi abrandar a marcha para o limite de tráfego de lei.
Fui insultado.
Parece que os carros potentes em Portugal não gostam da lei. Ou tal como para a policia´adquirem uma obscura sobreposição á lei. Mas só acima de tal cilindrada, presume-se.mas não é definido. O tal sinal «40» diante das escolas, é uma afronta a esses carros. Mas a perseguição ao cigarro e o elogio ao inócuo Ómega 3 (mais um Ovni?) são as grandes conquistas de uma geração vazia de colhões. Que "acha" que é poder. Que por ter um puto ou uma conta para pagar são supriores a qualquer coisa.
Não são.

Euromilhões

Hoje ía comprar tabaco á "minha" Tabacaria.
Mas deparei-me com uma fila, enorme, e lembrei-me "deve ser sexta-feira" E era.
Os portugueses pelos vistos têm muitos "projectos" que precisam de dinheiro. E muitas sextas-feiras nas suas vidas.
Mas os seus principais projectos são o de estar numa fila.
Os portugueses adoram filas. Então á sexta-feira isso parece ser um ritual ou um cerimonial vá-se lá saber - sem Claude Levi-Strauss. Filas para qualquer coisa. Os portugueses, proficuos em construirem uma vida, querem que a vida seja, brilhantemente (nenhum país do mundo pensou assim), paga. A marca italiana deve ter ganho muito dinheiro em Portugal.
Mas não se conhece nenhum projecto português resultado da sua criatividade social. Aliás a criatividade social, nunca aconteceu em Portugal porque não havia filas para isso. E para um português se não havia filas era porque era mentira.
A não ser copos. Uma benção. Nunca há filas para copos.
Na verdade os portugueses não têm projecto nenhum. Têm um projecto de se vingarem do vizinho, habitualmente mais próspero.
Daí a expectiva na Graça Divina. Mas a graça divina são eles que poderiam não ter inveja do próximo.
E os portuguese têm inveja do próximo porque para isso não é preciso filas.
Isso vale mais do que uma expectativa num qualquer premio de "dinheiro". (Eu conheci uma pessoa a quem saiu o totoloto, hoje é absolutamente senil, quer dizer, tem um bar).
Mas os portugueseses nunca pensaram o que podem fazer pelo vizinho mais próspero. Normalmente fazem coisas pelos "pobres", pelos "sem-abrigo" ( á Abrunhosa, ideologia da vitima e do vilão) mas não pelos ricos. E nunca perceberam a diferença, tal coisa (tal como nos Abrunhosas) não encontrou o cérebro porque em tais casos não há. A menos que se faça fila para isso.

Espero que esta semana o Euromilhões saia a mais um português. Porque normalmente ele vai gastar o dinheiro a paises exoticos (que, segundo um estudo exótico) como Estados Unidos - Berckeley, por noma - e onde há bibliotecas. Tipo United Kingdom -Birmigham.

Já agora os numeros para esta semana disse-me um amigo meu chamado Zandinga são o coisinho, o tal, o pois , o tal outra vez, e o nunca; e os suplementares são o não-sei-quantos e o não-sei-quantos da semana anterior.
Mas na proxima semana serão os mesmos. Disse-me ele. E mais uns Astrólogos reputados. Com Deus e tudo.
Mistério!

"A Guerra", qual? De audiências claro.

Não houve guerra nenhuma.
Pelo menos eu não me lembro.
Ah estão a falar da guerra europeia (nem europeia foi, foi uma guerra de interesses industriais) a que por complexo designaram "mundial"?
Ou falam de uma guerra que um regime ("NOVO", não se esqueçam) propagou para vilões da época hoje se tornarem heróis?
E que fizeram esses herois? Salvaram vidas, expandiram o saber cristão em África?
Hoje voltou o medo ideológico para os televisivo-dependentes, aqueles que já não criam nada.
Para comentadores - como eu agora aqui. Com opinião e tudo. Fancy life. Eia.
A guerra nunca existiu a não ser na cabecinha de umas quantas vitimas, que enquanto lá andaram nunca se pugnaram pela sabedoria cristã. Ou qualquer outra sabedoria que não fosse a da OBEDIÊNCIA hierarquica.
Essa gente está a tentar criar em Portugal uma ideologia do martirio. Não consegurão porque não é a realidade. Uma ideologia da vitima, para criar novas vilanias. E novos vilões para criarem novas vitimas.
E são os vilões que não foram á guerra e se aproveitam de um facto limpo para se "expandirem" no regime vigente. Quem? Os autores do documentário. Não me comovem os Furtados.
Isto é um produto mediático, televisivo, a la Barreto. Uma ideologia concreta sem qualquer alegria - ressentimento, pouca verdade -obscurantismo de proposito,, e nenhum amor - é mais frete. Tal coisa existe? É credivel? Num país habituado ás sopas Campbell é.
Os midia (grande parte) não tem assunto. Têm que o inventar.

E isto não é teoria da conspiração. È Conspiração mesmo.

De que é este documentário está a desviar a atenção?
Quem está a ganhar com isso?
Aliás os midia inventam factos, tal como o homem que foi á lua. Coisa que nunca aconteceu, segundo os proprios media.. Nem o 11 de Setembro, segundo os proprios media.
Aliás a vida não está a acontecer agora. Neste momento e neste local. Aqui.
Não, são tudo inveções. Segundo os media. E são. Invenções de quem inventa o futuro. Não o passado. O passado aconteceu na perfeição. Para que hoje se possa estar aqui a ler isto.

Mas os soldados da mente continuam com a ideologia da guerra. primeiro porque de facto não souberam criar um real sociedade nova, criativa. Nem quiseram aceitar a sua propria história. E intentam criar nova guerra.
"A guerra" é documentário para esquecer. Mas não faltarão os soldados mentais que lembrarão coisas á mente. Esquecem-se que uma grande parte da história é futuro. Talvez a maior parte.
Porquê o sucesso televisivo? Pela simples razão de serem seres a-criativos, que pensam que são poder, e estarem habituados s serem comandados por um cabo, mas
cada vez que aparece um tenente bêbado batem palmas.

A sociedade portuguesa não existe. Só esxiste é o mito de uma tal coisa.

A historia da guerra colonial está por fazer. Mas já foi feita, nessa época. Concerteza. Mas isso só interessa aos soldados mentais.
Prefiro a história da musica ou da dança ou a história da alegria em Portugal.
Estão a ver a diferença?
Ou estão á espera que os Media vos expliquem?
Nunca vai acontecer. Não há lá alegria nenhuma. Nos media.

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

POLITICA PORTUGUESA

A politica em potugal é baseada no tristes que não olharam as estrelas. Pais do que nunca foram estrelas.
A politica em portugal é feita por Horácios.
Quem dera, acho que a maior prte dos genios politicos de bares e em BMW sabem quem foi Horácio - talvez um bar, ou uma nova banda?? Uma merda lá para o Bairro Alto, quando o Bairro Alto já FOI há 45 anos. Ou menos.
A ciencia é feita pelos mesmos tristes. - perseguidores de espiritos geniais. Aliás não existe ciencia nenhuma. Mas tecnologia de perseguição.
Mas porque não olharam as estrelas. Mesmo assim imbecis nas suas casa tech acham que vivem.

Uma resposta: FUCK YOU!

O CRISTO NA CRUZ É FEIO, MUITO FEIO; Isto serve para Atemorizar os crentes! MEDO MUITO MEDO é o que temos para les dar.

"Se não se portarem bem terão o mesmo fim que Jesus Cristo".
È o que quer dizer a Igreja Católica com esta MERDA de igreja.
Mas Jesus Cristo "morreu" (não morreu, mas a Igreja Católica gosta de ameaçar com a Morte - essse recurso ateneu) numa cruz, não por acaso. Onde está a ressureição?
Primeiro quem me dera ter - eu sei que vou ter - o mesmo fim e principio de Jesus.
Segundo, muito antes de Jesus, a Cruz era o sinal de Eternidade. Ainda hoje é. O simbolo da união da esquerda e da direita, do alto e do baixo. Do centro do SER.
Terceiro, a mensagem de Jesus é que Não há morte. Nenhuma.
Eu tive uma experiencia de pós-morte (num acidente) e garanto que isso da morte é uma treta. Quem gosta da morte é a CULTURA. Adora...! E a igreja Católic. E os Governos, as Finanças! Medicos e psicólogos! Adoram, porque isso lhes dá "poder". Um "poder "sobre". Infelizmente nunca perberam que o poder é "com".
Quando a mensgem de Jesus é a RESSUREIÇÂO: Mas a Igreja Catolica, nem Judeus nem qualquer MERDA ORGANIZADA conseguem pôr isso em pratos limpos, porque a RESSURREIÇÂO faz confusão a muita merda de gente que será ressurecta.
Porque será.?
Porque dá jeito. Dá jeito ameaçarem com o medo da morte, e asim terem "lucros". Ou não?
Convenções sociais, que o Plano de Deus, a Divindade, veio estragar. A realidade estraga.
A Igreja Catolica não percebeu nem um cu. Pior, não fez perceber aos seus seguidores senão o cu.
Cega. Com um ainda Cristo na Cruz, que só nortenhos CEGOS não perceberam. E esses nortenhos fazem a vida infeliz aos proprios nortenhos. Que deus nos livre deles. Que deus nos livre de quem nos pede para nos livrarmos.
A Igreja Católica não percebeu que milagres são feitos todos os dias, a toda a hora, a todo o segundo cada vez que um ser vivo decide olhar para o céu. Cada vez que decide pela fruta em vez do bife. Ou um gin Tónico.
Cada vez que nao tem dinheiro para o Taxi e o taxista perdoa. Cada vez que não paga uma multa. Cada vez que decide voltar a estudar. Cada vez que chora quando cortam as árvores. Cada vez que o preço da gasolina sobe e deixa de amar o carro. Cada vez que acha que as suas dividas ás finanças são justas. Cada vez que ganha mais num negocio do que o esperado. Cada vez que ao despedir um funcionario saber que isso só o prejudica a si. Tudo isso são milagres! Ou pensavam que milagres era só transformar a Agua Tonica em Gin?

A Igreja Católica não percebeu que os anjos somos nós, cada vez que cada um de nós nos manda á merda, ou nos dá uma cerveja, ou nos mete gasolina.

Para a Igreja Católica, Deus está num planeta qualquer, num lugar escondido do Universo e nós só temos de "sofrer" por isso.
Isso é que era bom.
Lamentvelamete a maior parte das pessoas que REALMENTE SOFRE COM A IGREJA CATÓLICA E A ADULA SÃO PESSOAS QUE A IGREJA CATOLICA NUNCA FEZ NADA POR ELAS.
Deus não está em nenhuma lua. Em nenhuma igreja.
Não está.
Deus É EU, AQUI. Nestas precisas palavras. Não em nenhuma qualquer Biblia (DEUS NOS LIVRE DA BIBLIA!!) ou al-Corão ou outros "fundamentos sociais". De cor marelada e velha.
Eu estive em Fátima varias vezes e para ser franco TODO AQUELE SOFRIMENTO É ENCENADO POR OBNOXIOS /AS ACTORES/ACTRIZES DE VIDA. Para provas viisite: http://www.yerathel.blogspot.com/.
Maus actores e más actrizes de vida que encenam um sofrimento que nem Jesus nem Deus deu.
Nem eles sofrem....!
Gente falsa. Sofrimento falso. Quando tudo é alegria na vida.
Basta ter sobrevivido a um Porto-Benfica para saber isso. Ou a um concerto dos Nirvana.
Religião? Bolshit!!

O CRISTO MUITO FEIO da Cruz.

Céus!! Aqule Cristo é Horrivel! S´uma Igreja Católica como esta permitiria tal coisa. Afinal o que esta Igreja Católica está a dizer ao seu "povo" é que é uma igreja primitiva.
E é.
Eu estva numa cadeira de barbeiro quando estas coisas se estvam a passar e ouvi as seguintes exclamções ao "povo":
"Senhor, eu não sou digno"
talvez o padre que tenha dito isso não fose mas haver milhares de cegos que o reproduzissem é obra - maior do que o cristo que só quer sair da cruz da nova igreja de fatima, e que ninguem percebe!
Mas ouvi outras misérias:
"senhor, porque me abandonaste?"
Para alem da imitação (que Cristo repudiava) óbvia de uma coisa que nam Jesus disse. A mim, Deus nunca me abandonou. E A SI? Nem em qualeur cruz Deus o abandonará. A não ser que esteja comp'letamente mocado, e mesmo assim...

Lamento à Nossa Senhora de Fátima

Lamento muito que a Igreja Catolica se tenha apoderado da VIDA de Jesus cristo para legitimar a sua maldade dessimulda sobre a Terra.
Jesus Cristo não legou a niguém a sua VIDA. Muito menos a uma "igreja". Porque a VIDA È.
Cristo amou. Como qualquer um de nós ama. A vida. Que É. Não fez mais do que qualquer um de nós. Os seus defeitos são os nossos - quotidianos.
Com Cristo ou sem Cristo.
Não precisamos de Cristo para nada, era essa a sua mensagem!
Não a de qualquer Deus. Porque o Deus que se procura está AQUI - neste post, neste coração. No coração de quem o lê.
A igreja Catolica continua a assustar os peregrinos com CONDENAÇÔES, as mesmas condenações que levaram o filho de deus á cruz..
Mas Cristo disse NEM UM, NEM SÓ UM DE VÓS CONHECERÁ O INFERNO! Porque tal coisa é invenção de padres! Para vos manter no inferno que eles tem preparado para vós nesta vida! Uma vida que devia ser dedicada ao luxo e á riqueza!!!
Mas a igreja católica quis esse poder só para si.
Quanto custou esse poder? O celibato? O sexo pela mãozinha? A pobreza infinita e o sofrimento?
Reis estupidos de Reinos e nações estupidas (Portugal, Espanha, Inglaterra, França, Italia, etc.)que legitimaram ébrios Padres?
Porcos com pérolas, em jornais, na televisão, por todo o lado. Filhos de que reino?

domingo, 7 de outubro de 2007

DEIXEI

Quando me apercebi que a Merche Romero (uma gaja calinadas) era mais popular do que eu quando estudava, deixei a Escola.
Quando me apercebi que estudar era menos nobre do que uma sapatiljhas NiKe. Deixei a escola.
Quando me apercebi que se dá dinheiro ao Cristiano Ronaldo por ele NÂO CURAR O CANCRO A NINGUEM, deixei a minha ambição pela ciência.
Quando me apercebi que dar dinheiro ao Zé Mourinho era melhor do que dar ao melhor cirugião prtuguês. Deixei de querer iver.
Não quero viver neeste país. Nem a tiro.
Nem pelo prémio que se dão as rappers - por razões de má consciência social.
Quando me apercebi que o premio Nobel não era para Saramago mas para aquele ressentido, deixei de querer escrever. E ele é tão mau que nem um recado é capaz de dar a si mesmo.
Quando me apercebi que a musica em Portugal é para a o RAP - por culpa - deixei de gostar de ouvir musica.

CRISTIANO RONALDO E S SEUS 15 MILHÕES

E quem paga o mesmo a padres?
Quem paga o mesmo a professores??
Quem paga o mesmo a artistas?
Mas a Merche...não é?

Que Sociedade é esta em que se dá dinheiro a gente inutil? E a familiares?

Breve Romero

A gaja é linda (de cu)
Não admira que do ponto de vista pessoal se torne horrivel.
É o que resulta do de leituras breves.
De romances breves.
De uma vida breve.
Tudo muito breve fruto de uma sociedade breve.

Muito mau, mas mesmo MUITO MAU ambiente na Esquerda PT

O Sr. Primeiro Sinistro anunciou ao pais do futebol mais dez barragens.
Para país do futebol isso não quer dizer nda.
O pais do futebol queria era equipamentos tipo Nike! Patrocinio do Genio Serrão.
Mas há uma pais que FODE futebol e não aceita o pais do futebol. Nem as amigas do Serrão.

O Primeiro Sinistro anunciou mais 10 barragens para Portugal. Presume-se que porque RAZÕES energéticas. Não . È por questões de Lucro de empresas que o Cidadão comum irá pagar daqui a dois anos, no ambiente Menezes (presumo que com o meu amigo Sergio «o alcoólico» na cortina dos destinos de Portugal).

O pais com mais sol da Europa (mais do que a Espanha) é o país com menos aproveitaento de energia solar. (Esquecer a Espanha, é uma merda - um mito - em termos de sol!).
O país com mais vento da Europa é o país com menos aproveitamento de eneregia eólica.
O pais com mais costa oceânica é o pais com menos aprovitaento das energias das marés.
Tudo isto resultado de governos Partido Socialista e Partido Socail Democarata.

Um tal Sá Carneiro e um tal Mário Soares. Quem nos livra dessa ralé?

Mas o pais mais Pobre da Europa é o que tem mais barragens. E mais Sá's Carneiros e mais Mario Soares. Eia!!
Mas pelo menos há um pais onde não se atiram pedras nem aos epanhois. A nao ser lá em xima os de- trás-os-montes, mas mesmos esses não são intifada..

Isto é o país que o Partido Socialista nos deu.
Eu que que pensava que era "d'esquerda".
Desiludido pelo PSD. Pelo FBI, pelo CDU. KGB, pelo Hammas. MI5...
À puta que vos pariu nunca fui na vossas organizações de cachecol na Praça!
Só quis aquilo que uma sociedade pobre se esqueceu: DE SI MESMA.

Talvez vez a CDU, me venha dar aquilo que é a realidade portuguesa.

OU o MI5.

sábado, 6 de outubro de 2007

Sampaio, o Inuti,l e a União das religiões.

O antigo presidnte da Republica Jorge Sampaio foi nomeado pela ONU poara "unir " religiões.
Não vai ser capaz. Porque não tem uma unica ideia acerca disso ( e por ser Sampaio, mas isso é outra historia).
Primeiro porque elas - as religiões - não se querem unir.
Nem ninguem quer que se unam.
Segundo, porque elas já estão unidas na sua fraude particular.

Cada uma das religiões é uma fraude. Cada Deus teologizado, institucionalizado, é uma fraude - mesmo hindus ou budistas. Fraudes de Deus. Fraude de uma divindade que está sempre a escapar porque o seu primeiro nome, e único, é LIBERDADE. (Tal como o anarquista Duval dos Mão Morta).

A grande premissa da "união" passa por pensar que as culturas estão desunidas. Não estão. A ONU falhou nisso. Toda a sociedade civilizada falhou nisso.
Porque tudo está unido. Nas suas interdependências.

Cada religião é um um tema incompleto de deus. Cada uma delas.
E cada uma delas está a tentar impor o seu tema - incompleto - acerca de deus. A igreja católica, por exemplo, mas sem humildade, não faz mais do que isso.
Nenhuma dessas religiões vingará. Nem uma.
Quanto mais o islamismo se acirrar mais o cristianismo invocará o seus anjos (quer dizer o FBI e a CIA). Quanto mais os ortodoxos se afimarem, mais os budistas se se ambientarão (quer dizer as hostes ambientalistas). E por aí fora. A VIDA não conhece religiões - isso é coisa das pretensas dominações.
A vida existe. Sem regiões ou religiões.
Não depende de regiões, religiões ou de um Deus Inutil.
A vida existirá sempre. Não precisa de grupos religiosos, seitas.
Os muçulmanos vingarão - em terra árida.
Os judeus vingarão, em terra ressentida.
Os cristãos vingarão em, tera cumprida..
Os católicos vingrão em terra fertil.
Os Protestantes vingarão e terra hostil.
Os budistas vingarão em terra distante.
And so on.l.

Jorge Sampaio não tem uma unica ideia acerca disto.
Nunca teve. Nem vai ter. O homem é um politico carrerista e um ZERO alaranjado afirmativo.
Nunca leu nada de importante - na sua vida inteira - a não ser umas coisas eurocêntricas. Foi nomeado por uma organização ocidentalcêntrica.

Espera-se o quê? Que faça amizade com os pilotos do avião?

Enquanto Presidente da Republica de Portugal a ideia de "União" era para ele tão "hostil" que basta consultar os seus discursos acerca disso para perceber que Jorge Sampaio é (foi) o INUTIL DISFARÇADO.
Jorge Sampaio é, de familia, um carreirista.
Coisa fertil, Mas inutil. Os sampaios são inuteis? São.
Esperemos pelas proximas greações!
Mas o miserável homem não percebeu que ter um ideia acerca da sua própria familia seria mais fertil do que o seu pretenso carisma.

Jorge Sampaio não passa de um Talismã.
Os Sampaios são Chulos de instituições, que tem a importancia que lhes dão.
E não têm nenhuma.

BI 7400231

Carta ao Primeiro Ministro Zé Socras

Sr. Primeiro Ministro,

Nunca votei em si e jamais votarei na pretensa claase politica instalada em Portugal - não têm uma unica ideia.
Nos ultimos dias declarou solenemente a um pais de futebol, digo funebre, mais dez barragens. Declarou tristemente, quase como num fueral, como se não fosse decisão sua.
Notou-se que foi decisão de uma merda que o Sr. Primeiro Ministro não controla - e onde não tem poder.
Toda a gente sabe que a energia não passa por controlar o fluxo natural das coisas, dos elementos, da natureza. Mas você achou que sim, Você e a MERDA que representa acham que sim.
Está (estão?) desesperado? Economicamente? Mande foder a Comunidade Europeia. O João Jardim (que eu não concordo)no seu luxo, intuiu isso. Você eleitoralemente, não.
O Governo PS fez um caralho de um trabalho para devolver aos portugueses a sua terra. E quase conseguiu. Não fosse o Senhor está a tentar vendê-la de novo. Eu acho que isso não é pessoal.
OLhe que eu votei Cavaco e Guterres.
Louçã e Portas.
Sou desses. Nunca votaria em si.
Mas que interessa isto?
A seguir vem outro governo, seja ele de que quadrante for e vai "achar" o mesmo. Vai ser PODER DE HOMENS.

Na verdade na historia você vai ficar como o maior "conas" do país. Não se preocupe: os do PSD ainda são mais.Mas você tem a coroa garantida.
Porque abdicou de uma coisa que o pais tem e toda a tecnica quer negar - riqueza de recursos. Você que tem poder abdicou do seu proprio poder - daí o "conas" em que ficará na (minha) história.
Mandou indentificar um ambientalista. Tristemente.
Não devia.
Coisa triste. Só em Cuba isso se passaria.
Tem seguranças feios, e não mulheres. Feios como você que se vestem mal e respiram pior dos sovacos.
Mas de Cuba lá sabe você.
Não se admire que mais ninguem vá para a politica. Que ninguem como eu licenciado em politica vote no sistema politico português.
Você é muito triste! Pior é ainda o que aí vem. Um tal Menezes, seu amigo.
Mesmo que fosse á esquerda. Admirei-o por ter feito o que mais ninguem teve coragem de fazer - uma reforma interna. Mas falhou ao desculpar-se com economicismos dos quais voce não percebe nada e onde foi visivelemente manipulkado.

Sr. Engº Socrates,
Nunca fui dos que o ridiculrizou, porque você fez um real trabalho. Mas nos ultimos meses detecto uma ausencia de decisão e falta de poder.
Não estava na sua mente inicial, construir mais DEZ BARRAGENS. Porque o está a fazer? Que mal tem o vento, o sol e a água do mar?
Portugal é um país riquisssimo em recursos naturais - o vento, o sol, a água.
Universidades que dariam conta disso!
Está a arruinar o futuro de Portugal?
O seu futuro?
O seu bom nome?
Nunca fui da sua esquerda ou da sua direita mas você pareceu-me, em exercício, um verdadeiro revolucionário. Mas não hoje. Ou jamais ou será.

Repare que não sou comunista, centrista, anarquista ou o que quer que seja. Eu só VEJO O QUE FUNCIONA!
Você não funciona, Sr, primeiro Ministro. Mas funcionou!

Olhe para o País enquanto está no poder e faça esta simples pergunta a si mesmo: O QUE É QUE ESTÁ A FUNCIONAR NESTE PAIS E COMO POSSO VALIDAR ISSSO?

Com os meus melhores cumprimentos,
para uma amizade próspera;

Augusto Manuel Deveza Ramos

B.I. 7400231

sábado, 29 de setembro de 2007

Gente Sangrenta em Portugal.

Como se detecta?
Estão aí.
Sacrificadas.
São mulheres, Vigiam-se umas ás outras são gente sangrenta. Adoram a "republica". São Gente sangrenta.
Adoram a "familia". São gente sangrenta.
Fodem o proximo e o vizinho, mas o proximo come-as, são gente sangrenta.
Gente sangrenta só vê sangue. São gente sangrenta num pais, Portugal numa festa de sangue.
Republica e sangue são a mesma coisa. Para a gente sangrenta.
Mas Cristo não tinha sangue. Mas sangue tem os cristãos. Nas mãos.
Gente sangrenta os cristão sem Cristo nas mãos.
Cristo sem papa nos colhões.

THE EDITORS

Tudo o que os Joy Divison poderiam ter sido.
A voz do moço é a de Ian Curtis vivo.
Não fossem as gajas que o Ian Curtis andava a comer e que lhe tentatam fazer a vida negra.
Uma tal esposa de Paul McCartney. Por exemplo. Talvez Linda Mc Cartney.
Gentinha que que se baseia.
Mas não no que é.

Bancos

Há uns dias, com 41 anos, abri uma conta num banco.
O banco era "assertivo" e até falava "vem".
Quiseram saber tudo acerca da minha vida pessoal.
Aceito. Não fosse eu assaltar o banco naquela altura do dia.
Mas quiseram sabe mais: se tinha alguma vez exercido cargos publicos....?

Socialistas, a economia and the BLOODY PEOPLE

Um tipo chamado Socras, designado como Primeiro-Sinistro de Portugal, - que eu não sabia, quer ter a presumpção de regular uma tal economia. Coisa que não existe a não ser na cabeça de dois obscuros academicos.
O tipo não regula a economia. Não regula a sua cabeça nem a sua mulher. Nem o seu telemovel ou carro. Como tal não regula nem a sua familia ou os seus neurónios. Tal como as mafias industriais e comerciais não regulam nenhuma economia. Tal como as mafias não regulam nem o proprio caralho.
Regular é uma ilusão, em Portugal. Não há mafias nenhumas nem merda nenhuma. H+á gente sangrenta.
É uma ilusão que daria jeito, se os os outros estivessem a dormir.
Porque não há tal coisa chamada economia, ou industria ou comercio. A gente está acordada.
Quem regula a tal malfadada coisa chamada economia são os vivos. Categoria que não existe em Portugak por causa da sangrenta gente da Republica.
A economia é o resultado de uma sociedade não de um governo ou grupo social. Enquanto não houver sociedade em Portugal, não haverá economia. Para já só há gente em sangue. Uma sociedade sangrenta. Só depois é que se vê o que vai haver. Enaqunto não se ultrapassar uma serie de gente sangrenta nem sequer há democracia. Nem PREC houve...!! Por causa da gente sangrenta...
O que aparece na televisão é futurismo de Fernado Pessoa. Idealismo de Hegel.

THE EDITORS

Provavelmente nunca virão a Portugal.
Os anunciadores, organizadores e promoters de concertos olham mais para o que já deu. Ontem.
Por essa bitola The Editors só vem a portugal daqui a a 16 anos.
Mas a ideia deste post é ligá-lo ao site dos Editors e fazer ouvir os albuns da banda mais genial desde os Sex Pistols, Pelo menos mais original. Pelo menos mais sincera. Pelo menos mais honesta. Pelo menos rastreadora.
Pelo menos a unica que consegue tocar em Cd na minha cozinha 7 dias por semana. E fazer uns cozinhados do caralho.
Mas não eu.